Cultivar Bio

Cultura da Chalota

Chalota

  • Nomes comuns: chalota; echalota; cebola de multiplicação; escalonai; chalote; cebolinho de Franca.
  • Nome Científico: Allium cepa L (A. Ascalonicum, A. Cepa var. ascalonicum e A. cepa var. aggregatum).
  • Origem: Ásia Central e Ásia Menor.
  • Família: Liliáceas.
  • Ciclo biológico: 60-100 dias.
  • Parte Comestível: bolbos com 2-4 cm de diâmetro.
  • Características:

Destingem-se da cebola devido ao facto de o bolbo se dividir, resultando num agregado de pequenos bolbos independentes que podem chegar aos 15, piriformes, com túnicas vermelhas. A maioria não emite escape floral.

  • Factos históricos:

Alguns tratados de horticultura do sec XIX já referiam esta planta na Península Ibérica. O seu nome é originário de “Ascalão”, cidade da antiga Palestina, sendo trazida para França durante a primeira cruzada.

No século XVII, na região francesa da Bretanha esta cultura encontrou excelentes condições para o seu desenvolvimento. Desde então, os produtores bretões especializaram-se e desenvolveram a cultura da Chalota.

Variedades mais cultivadas:

  1. “Chalota comum”,
  2. “Ascalonia de New Jersey”,
  3. “Ascalonia Mercie”,
  4. “A Gris”,
  5. “Atlantic”,
  6. “Creation”, Drittler White Nest”,
  7. “Echalote de Poulet”, “French jermor”,
  8. “Giante yellow improved”,
  9. “Golden Gormet”,
  10. “Grise de Bagnolet”,
  11. “Jermor”,
  12. “Pesandor”,
  13. “Picasso”,
  14. “Pikant”,
  15. “Polka”,
  16. “Red Gormet”,
  17. ”Red Sun”,
  18. “Topper”.

Condições ambientais

  • Solo: Solo moderadamente rico em matéria orgânica, ligeiro bem drenado, profundo e fresco com pH de 6,0-7,0.
  • Zona climática: Temperada.
  • Temperaturas: Ótimas: 20-25ºC Min: 5ºC Max: 45ºC Germinação: 1520 °C
  • Paragem do Desenvolvimento: 4ºC
  • Exposição Solar: Sombra parcial ou pleno sol.
  • Humidade relativa: não deve ser baixa.

Fertilização

  • Adubação: Estrume de vaca, galinha, borras de café e regas com chorume de vaca bem diluído.
  • Adubo verde: Luzerna, favarola e azevém.
  • Exigências nutritivas: 2:1:1 +Ca (azoto: fósforo: potássio).

Chalota

Técnicas de cultivo

  • Preparação do Solo:

Lavrar o solo superficialmente (10-15cm) com uma fresa.

  • Data de Plantação/Sementeira:

Outono (outubro-novembro) ou Primavera (março-abril). A época de outono é melhor para Portugal, pois não apanha o verão.

  • Tempo de Germinação:

10-20 dias.

  • Tipo de Plantação/Sementeira:

Plantar os bolbos depois de serem tratados em água a 44ºC durante 2 horas. Os bolbinhos de 10g podem originar 4-5 bolbinhos, os de 30-40g podem dar 10-13 bolbos. Geralmente escolhem se os dentes mais pequenos de plantas com boa configuração.

  • Faculdade germinativa: 3 anos.
  • Profundidade: enterrar os bolbos a 1/3 ou 2 /3 da sua altura.
  • Compasso: tufos espaçados de 20 x 15 cm.
  • Transplação: quando tiver 1015 cm de altura.
  • Consociações: cenouras, videiras, roseiras, camomila, e tomateiros.
  • Rotações: retirar do canteiro de 4 em 4 anos.
  • Amanhos: Cortar as plantas a 5cm do solo para que voltem a crescer na primavera; mondar as infestantes.
  • Regas: apenas no verão e Primavera, mantendo sempre a terra húmida e fresca.

Entomologia e Patologia vegetal

  • Pragas: não se conhece nenhuma.
  • Doenças: vírus SLV, Bolor branco e ferrugem.
  • Acidentes: Muitas chalotas podem degenerar na altura da plantação.

Colheita e utilização

  • Quando colher: no Início do Verão ou Primavera, quando a rama começa a secar ou assim que os caules fiquem amarelos.
  • Produção: 12-20 t/há. Também se pode colher na forma verde, com os bolbos em desenvolvimento e folhas verdes.
  • Aspeto nutricional: Contem mais flavonóides e fenols.
  • Época de consumo: Princípio da Primavera.
  • Condições de armazenamento: Em boas condições de armazenamento, pode conservar-se 6 meses, depois de seco.
  • Usos: Tem uma utilização semelhante à cebola, mas para pratos mais refinados em molhos. Muito utilizado na cozinha francesa, persa e em outros países do sudoeste asiático.
  • Conselho de o de especialista: A chalota é mais saborosa do que a cebola e consegue-se conservar mais tempo sem germinar. E uma ótima alternativa a cebola e no primeiro ano que plantei tive excelentes resultados.

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar