Jardins

Jardim Botânico de Colónia

Vale a pena visitar este espaço e esta coleção de plantas que nos encanta a cada estação.

No início de setembro, vou sempre a Colónia, à maior feira de jardinagem da Europa, a Spoga+Gafa, mas nunca tinha tido a oportunidade de visitar o jardim botânico da cidade.

Este ano tirei uma manhã para o fazer e, de facto foi uma surpresa muito agradável, pois o jardim é muito bonito, tem uma coleção de plantas notável e está impecavelmente mantido.

Este jardim é um parque municipal com uma área de 11,5 hectares situado junto ao Jardim Zoológico em Colônia. Tem a grande vantagem de estar aberto diariamente e de ser gratuito.

Tive pena que não existisse uma planta do jardim disponível e que todas as indicações estivessem em alemão, pois o jardim e vale a pena ser visitado com mais cuidado.

História

O jardim remonta ao ano de 1863, quando uma sociedade anónima privada foi organizada para criar o Parque Flora (Flora Park) como um substituto para o antigo jardim botânico da cidade, localizado próximo da Catedral de Colónia, e que foi destruído em 1857, aquando da construção da estação ferroviária central (Köln Hauptbahnhof).

Este novo parque foi projetado por Peter Joseph Lenné, em 1864, num estilo alemão misto, incorporando vários elementos do estilo barroco francês, tendo ainda influências do renascimento italiano e dos jardins românticos ingleses.

No centro do jardim, existe um pavilhão em vidro e ferro fundido (Orangerie) que foi inspirado no Palácio de Cristal de Londres e no Jardin d’Hiver de Paris.

Durante o século XIX, este pavilhão recebeu diversas exposições de horticultura, que incluíram exposições várias de horticultura. Já no início do século XX, o jardim foi ampliado com uma parte desenhada ao estilo art nouveau.

Entre 1912 e 1914, o jardim sofreu grandes problemas financeiros e de manutenção, tendo sido nessa época adquirido pela administração municipal. Já com esta nova administração, o jardim foi ampliado cerca de 4,5 hectares.

Estes dois jardins foram unidos em 1920 e, ao longo dos anos, foram também construídas novas estufas para exposições de plantas exóticas e tropicais.

O PARTERRE DE ENTRADA É COMPOSTO DE MILHARES DE FLORES ANUAIS de cores diferentes, formando uma composição única.

Descrição

O Parque Flora foi restaurado em 1987 e tem hoje um jardim renascentista italiano com pérgulas e cascatas, encontrando-se o pavilhão rodeado por jardins no estilo inglês, com plantações de flores de época, jardins rochosos, jardim de brincos-de-princesa, jardim mediterrânico, jardim de aromas e horta biológica.

Tem ainda uma lagoa rodeada por vegetação e uma coleção de árvores notável, algumas datando da criação do jardim: mais de 60 exemplares estão classificados como monumentos naturais.

Acede-se ao jardim rodeando um enorme parterre com um lago circular no meio de onde sai um repuxo. Este conjunto de água, relva e flores forma uma composição perfeita de equilíbrio, cor e proporção; a manutenção impecável contribui para que este espaço nos encante assim que entramos no jardim.

Numa das laterais do pavilhão de vidro, temos a esplanada, que tem uma vista magnífica sobre uma cascata rodeada por dois túneis de vegetação, esta é das zonas mais bonitas e românticas do jardim.

Coleção de plantas

O jardim botânico possui cerca de 10.000 espécies de plantas, incluindo cerca de 2000 espécies no seu jardim rochoso alpino.

Existem também excelentes exemplares de árvores e arbustos como magnólias, rododendros, coníferas e muitas outras árvores que encantam pela sua dimensão e beleza.

Tem ainda uma coleção de plantas medicinais e aromáticas.

O jardim das dálias

Uma das coisas que mais me fascinou neste jardim foi o chamado jardim de verão, onde estão plantadas, organizadas em canteiros geométricos, centenas de variedades diferentes de dálias.

Aqui podem encontrar-se flores de todas as cores, formas e dimensões, uma profusão de cores que não deixa ninguém indiferente.

Este jardim é renovado a cada estação com novas coleções. Todos os anos, há uma boa razão para tornar a visitá-lo.

O jardim dos brincos-de-princesa

As fúchsias ou brincos-de-princesa são das minhas flores favoritas, fico sempre encantada com a enorme diversidade de cores, formas e texturas que estas flores apresentam.

Neste jardim, que é um recanto muito agradável enquadrado por um edifício em tijolo, encontramos uma coleção de brincos-de-princesa organizada em canteiros rodeados por buxo. Aqui pode ver exemplares de várias dimensões, cores, formas e texturas.

A horta e jardim de plantas aromáticas e medicinais

Este é um jardim que tem grandes preocupações com a sustentabilidade — podemos encontrar ao longo do jardim estruturas em madeira que são nada mais do que hotéis para insetos, para que estes possam vir e ficar no jardim, contribuindo para uma gestão eficiente do espaço.

A horta é muito bonita e bem organizada, com uma grande variedade de hortícolas. O jardim de plantas aromáticas e medicinais tem também uma excelente coleção que inclui uma série se plantas mediterrânicas, entre outras.

O jardim alpino rochoso

Aqui encontra-se uma das maiores coleções do jardim. Podem ver-se milhares de plantas alpinas plantadas em socalcos de pedra, recriando de forma perfeita os seus habitats de origem.

Este espaço está desenhado para que possamos percorrer caminhos junto dos socalcos e desta forma apreciar a variedade e quantidade de plantas que aqui existem.

Na Estufa Principal está uma maravilhosa coleção de plantas de floresta tropical, palmeiras de grande porte, estrelícias, entre outras…

As estufas

As quatro estufas existentes albergam mais de 5000 espécies. Destaco a Estufa Principal, onde está uma maravilhosa coleção de plantas de floresta tropical, palmeiras de grande porte, estrelícias, etc., que criam um ambiente luxuriante onde dá vontade de passear.

Existem ainda mais três estufas: a Pequena Casa Tropical, onde se podem ver culturas tropicais, incluindo bambu, canela, cacau, coqueiros, café, abacaxi, cana-de-açúcar e baunilha, além de plantas aquáticas incluindo como o arroz, inhame, flor-de-lótus, e nenúfares; a Casa Subtropical, com plantas subtropicais das Américas, África, Ásia e Austrália, incluindo uma exemplares de camélias, próteas e samambaias; e a Casa dos Catos, que alberga uma grande coleção de catos e plantas suculentas dos desertos e semidesertos de todo mundo.

O restaurante e esplanada

Uma das surpresas agradáveis deste jardim botânico foi o seu restaurante/ esplanada. Um pequeno quiosque onde podemos escolher saladas ou pratos quentes e deliciosas sobremesas que vêm todos em frascos reciclados.

Tudo isto é colocado num cesto com loiça e talheres que levamos para comer no sítio do jardim que quisermos. A comida era de excelente qualidade e adorei o conceito.

Gostou deste artigo?
Então subscreva o canal da Jardins no Youtube, e siga-nos no Facebook, Instagram e Pinterest.

Poderá Também Gostar