Hortícolas e Frutícolas

Método biológico: cultura da toranjeira

Originária do sudoeste asiático, a toranjeira teve enorme sucesso apesar do travo amargo.

  • Nomes comuns: Toranja, “grapefruit”, fruto proibido, pomeleiro.
  • Nome científico: Citrus paradisi Macf. (C. máxima Merr).
  • Origem: Sudoeste asiático (Índia).
  • Família: Rutáceas.

Factos históricos:

Deve ter tido origem na mutação de um gomo de pomelo ou pode ter sido um híbrido entre um pomelo e uma laranja. Foi descrito pela primeira vez em Barbados (Índias ocidentais), em 1750, por Griffith Hughes, que lhe deu o nome de “fruto proibido”.

James Fayden no seu livro “Flora da Jamaica”, em 1837, atribui-lhe o nome de C. paradisi (Paraíso), que foi dedicado ao local de origem na Jamaica.

O nome “Grapefruit”, termo utilizado em Inglaterra e nos Estados Unidos, teve origem num botânico chamado John Lunam, que provou o fruto e disse que sabia a uvas (grapes). Em 1885, foi introduzida no mercado americano e, apesar do seu travo amargo, teve enorme sucesso (especialmente em Nova Iorque, sendo apenas ultrapassada pela batata, alface, laranja e maçã e ainda hoje é muito consumida ao pequeno almoço em sumo. Os principais produtores são os Estados Unidos e a China; na Europa é a Espanha.

Descrição:

Árvore pequena que pode alcançar 5-10 m de altura, vigorosa, de copa densa e esférica com folha permanente. As folhas são maiores que a laranjeira doce e as flores são brancas. A toranjeira, começa a produzir aos 3-4 anos e tem uma vida produtiva de 22-30 anos.

Polinização/fecundação:

São hermafroditas, não precisando de ter varias variedades para dar frutos. As flores aparecem na primavera, desde Março até Abril. Mais de 80 % da polinização deve-se as abelhas e outros insectos (entómofila).

Ciclo biológico:

No nosso clima a floração ocorre na Primavera e os frutos são colhidos no final do Outono até ao princípio do Inverno.

Variedades mais cultivadas:

Existem dois grandes grupos de variedades, as de polpa vermelha, as de polpa amarela alaranjada.

As principais cultivares são: “Marsh’s seedless”; “Ruby Red”; “Duncan”; “Mc Carty”; “Paraíso” “Flame”; “Red Blush”; “Foster”; “Oroblanco”; “Red Marsh”; “Texas Star”: “Hirado”; “Thompson”(polpa rosada); “Pink Marsh”(Polpa rosada); “Star Ruby”; “Red seed”; “Burgundy”;”Henderson”; “Ray Ruby”; “Rio Red” e “Triumph”.

Parte comestível: O fruto de cor amarelo – alaranjado e forma oval – achatada de polpa da mesma cor ou alaranjada avermelhada. O fruto pode pesar 1Kg.

Condições ambientais

Tipo de Clima: Tropical e Subtropical e temperado Mediterrânico.

Solo: Adapta-se a quase todos os tipos de solo, incluindo os alcalinos (Embora o pH ideal seja entre 6-7) mas prefere os de textura arenosa e profundidade entre 3 e 5 m. Nos solos mais pobres e pouco profundos e ligeiramente salinos, obtêm-se frutos com melhor qualidade.

Temperaturas: óptimas: 25-31ºC Min: 12 ºC Máx: 50ºC.

Paragem do desenvolvimento: 11ºC

Morte da planta: -5ºC.

Humidade relativa: 38-40%.

Exposição solar: 8 a 12 horas.

Ventos: Inferiores a 10 Km/h.

Quantidade de água: 1000-1500 mm/ano, sendo 600 mm de Maio a Outubro.

Humidade atmosférica: 65-85 %.

Fertilização

  • Adubação: Estrume (cavalo, frango ou caprinos), farinha de ossos, farinha de sangue, composto e terra vegetal e alguma cinza de madeira. Deve ser feita no Outono. Pode aplicar adubo líquido à base de extracto de algas marinhas, pelo menos uma vês por mês. Podemos incorporar calcário dolomítico e fosfato natural, de acordo com as necessidades.
  • Adubo verde: Luzerna, Ervilhacas (Vicia sativa), garroba (Vicia monanthos), o gero (Vicia Ervilia), a fava cavalinha (V.faba L ssp. Minor Alef), o Chícharo de Torres (Lathyrus Clymenum), o feijãobezugo (Vigna sinensis), mostarda, aveia, azevem, trevos, etc. Devem ser semeadas no Outono, para serem enterradas quando atingirem a floração, caso seja possível.
  • Exigências nutritivas: 3:1:5 +Ca ( 3 de azoto 1 de fósforo: 5 de potássio mais cálcio).

Técnicas de cultivo

  • Preparação do solo: Mobilizar o solo com uma subsoladora a 40-50 cm e no fim passar com um escarificador para preparar o terreno para a plantação.
  • Multiplicação: Por enxerto (escudo) em diferentes porta-enxertos (limoeiros e mandarinas, Citrange Troyer, C. carrizo, Citrumelo, etc.), de Abril a Maio.
  • Data de plantação: Início da Primavera.
  • Compasso: 6,5 x 5,0 ou 5,5 x 6,5.
  • Amanhos: Podas (apenas os ramos ladrões, os rebentos do porta-enxertos e os ramos mortos ou doentes); A poda de formação faz-se para abrir a copa da árvore.
  • Regas: Por gotejamento (gota-gota).

Entomologia e patologia vegetal

  • Pragas: afideos, cochonilhas, mosca da fruta, mosca branca, ácaros, trips e nemátodos.
  • Doenças: Fumagina, vírus da tristeza, psorose, gomose, antracnose, etc.
  • Acidentes/carências: Morrem com geadas fortes.

Colheita e utilização

  • Quando colher: A principal colheita faz se de Outubro a Fevereiro. Colhe-se quando o fruto está completo e a cor começa a mudar de verde para amarelo.
  • Produção: A toranja tem a plena produção aos 9-11 anos. E pode produzir 30-60 t/ha/ano.
  • Condições de armazenamento: 1012ºC, com humidade relativa de 90 %, durante 2-3 meses.
  • Valor Nutricional: Bons teores de açúcares e vitaminas C e A e B, sais minerais pectinas e carotenos.
  • Usos: consumido em fresco (cortados ao meio com açúcar), marmeladas, geleias e em sumos (que podem ser doces ou ligeiramente amargo). A nível medicinal, os flavonoides ajudam a combater as gorduras dos alimentos e doenças do aparelho urinário. Tem propriedades digestivas, depurativas, diuréticas e anti-hemorrágicas.

Fotos: Thinkstock

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar