Aromáticas e Medicinais

Camomila, uma planta útil para a saúde

A camomila é uma amante de luz por isso procura campos abertos, bermas de estrada e caminhos, gosta de solos húmidos, de barro, mas também calcários e arenosos.

É uma planta composta da família das asteráceas que são cerca de 800 plantas, num total de 13 mil espécies. Entre elas, encontram-se a margarida, a maravilha, o dente de leão, a arnica, a chicória, os crisântemos, entre outras. As plantas compostas conquistaram praticamente o planeta inteiro, crescem em todos os continentes, incluindo Ásia, Austrália, Nova Zelândia, zonas montanhosas, planícies, zonas costeiras, margens de lagos e rios, à excepção dos pólos e das florestas tropicais.

Em Portugal existem vários nomes para os diferentes tipos de camomilas e daí uma certa confusão no que diz respeito à sua distinção.

Descrição

O nome científico da camomila vulgar, camomila alemã ou húngara, ou margaça, é Matricaria chamomila. É ainda conhecida como manzanilha que é também o nome que os espanhóis lhe atribuem. É anual, mede entre 20 a 50 cm de altura, possui pequenas folhas brancas, abundantes e sustentadas por um caule gabro muito ramificado, folhas de um caule intenso, lisas na página superior. O seu centro parece um disco solar, exala um cheiro aromático, um pouco áspero mas agradável e adocicado.

Apesar das suas propriedades serem bastante semelhantes às outras camomilas, esta é a mais eficaz de todas. Poderemos distingui-la das outras devido a três características: as língulas brancas dos capítulos curvam-se para baixo no final da floração. O receptáculo é oco, cónico e desprovido de brácteas entre as flores. As folhas são recortadas em finas lâminas.

A macela, macelinha, macela dourada, macela galega, falsa camomila, camomila romana ou inglesa, correspodem ao nome científico Anthemis nobilis. Mede entre 10 a 30 cm de altura, é vivaz, com caule prostrados ou erectos, folhas verdes acizentadas, divididas em lóbulos curtos e estreitos, tem cheiro penetrante e um sabor mais amargo que a matricaria (camomila alemã).

Constituintes

Óleos essenciais, farnezina, alfabisobolol, camazuleno (que se torna castanho com a luz e existe principalmente na matricaria), cânfora, princípio gomo-resinoso, taninos, pigmentos falfunóicos, colina, glicócidos amargos, enxofre, fósforo, ferro, ácidos gordos, inositol, esterol, cumarinos, potássio, e vitamina C.

Propriedades

As flores da camomila romana contêm um óleo essencial e uma bonita coloração azul chamado camazuleno do qual se extrai o óleo essencial, o camazuleno tem fortes propriedades anti-sépticas, ajudando no alívio de dores e cicatrização de feridas. É anti-inflamatório e anti-espasmódico sendo o chá utilizado para combater espasmos do aparelho digestivo, enjoos matinais, indigestões, cólicas, gastrite, cólon irritável e diarreia. Aplica externamente em compressas e pomadas, ajuda a tratar queimaduras e eczemas. É ainda anti-microbiano e anti-fúngico sendo por isso recomendado no tratamento de Cândida albicans.

O chá é sedativo. O efeito relaxante da camomila é muito útil para bebés nervosos e hiperativos ou com problemas de dentição e febres podendo ser massajado com algodão na gengiva do bebé. Alivia também dores de cabeça pré-mestruais ou enxaquecas de origem nervosa.

Em forma de compressas pode ainda ser útil quando aplicadas mornas sobre o nervo ciático em caso de inflamação e dor. Contra o catarro, a asma e a febre dos fenos, pode utilizar-se em inalações que também ajudarão a tratar a pele limpando as impurezas e alguns casos de acne. É anti-parasitário, é também utilizado para tratar mamilos gretados. Desde a antiguidade que lhe eram conhecido o poder de curar olhos cansados e inflamados.

No jardim e na horta

A camomila Anthemis nobilis (ou macela) produz um efeito curativo nas outras plantas do jardim. É uma excelente cultura para acompanhar as couves e as cebolas melhorando-lhes o desenvolvimento e o sabor. Mas convém cultivar de forma dispersa aproximadamente de 45 em 45 metros. O trigo cultivado com a camomila na proporção de 100:1 cresce mais vigoroso e com espigas mais cheias, em proporções mais intensas torna-se prejudicial em vez de benéfico.

Os capítulos da variedade M. matricarioides reduzidos a pó são muito úteis no combate a vários tipo de traça. A Matricaria camomila é repelente de moscas e mosquitos, a sua eficácia iguala a do pinetro comercial. Uma tisada de Matricaria camomila em aspersão é utilizada contra as pulgas e eficaz contra o emerchecimento das plantas especialmente as de estufa e ainda controlar o apodrecimento devido à humidade. Na agricultura biodinâmica fazem-se preparados com camomila que ajudam a vitalizar as outras plantas, estabilizando o azoto e regulando a fermentação do composto.

Curiosidades e utilizações

No Alentejo onde a camomila crescia abundantemente nos campos, existe uma povoação com o nome de Amareleja que outrora foi chamada Marilisis. Esta é a designação que se dá à barra amarela pintada nas casas alentejanas cuja tinta era outrora obtida a partir de pigmentos de plantas entre as quais se encontrava a camomila. Para além dos efeitos decorativos, tem ainda hoje a funcionalidade de afastar alguns insetos.

É utilizada no fabrico de vários champôs que servem para aclarar os cabelos louros. Os cremes e pomadas são úteis para limpar e dar elasticidade à pele. É ainda utilizado como elixir para desinfetar a boca.

A variedade Anthemis tinctoria é ainda utilizada na tintutra, produzindo um pigmento castanho dourado.

Uma tisana da variedade mais doce com mel e limão, deixando arrefecer, pode-se juntar à salada de frutas, para lhe conferir um sabor exótico e mais digerível. Poderá decorar com algumas pétalas.

Fotos: GettyImages

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar