Pragas e Doenças

Combata a cochonilha negra

cochonilha negra

Saiba quais são as principais características desta praga e como combatê-la.

Praga

Cochonilha negra (Saissetia oleae Olivier).

Características

Trata-se de uma cochonilha que mede 3-5 mm de comprimento, cor castanho escuro/preto, tem forma oval (a fêmea) e corpo convexo e parece que tem a letra H escrita no dorso. Os ovos têm cerca de 0,3 mm de comprimento, elípticos e são de cor rosa no início e ligeiramente amarelos no fim.

Ciclo biológico

Este inseto pode ter duas gerações por ano (citrinos) e uma nas oliveiras. Cada fêmea, por partenogénese, pode por cerca de 1000-2500 ovos, agrupados debaixo de um escudo (corpo materno), demorando este processo cerca de 15-30 dias durante o mês de junho. Devido às nossas condições climáticas, a mortalidade pode atingir 80 %. As larvas sobreviventes achatadas, ovais e amarelo-acastanhadas, fixam-se aos tecidos e evoluem até à primavera, altura em que atingem a fase adulta (no princípio do verão).

A segunda geração começa no outono com a reprodução, atravessando o inverno como fêmea imatura. A baixa humidade atmosférica e elevada insolação aumentam a taxa de mortalidade desta praga.

Plantas mais sensíveis

Oliveiras, laranjeiras, loureiro e algumas ornamentais.

Danos

Verificam-se nos ramos e folhas. As cochonilhas, fixam-se na página inferior ao longo da nervura mediana, dirigindo-se depois para os ramos e alimentam-se da seiva da planta, o que pode levar a uma menor produção de frutos. Os ramos atacados secam e caiem, levando ao enfraquecimento da planta. A melada produzida, chama formigas que estimulam a cochonilha a produzir mais melada e com isso, aparece a fumagina que vai agravar os danos na árvore (funções respiratórias e fotossíntese) e na sua produção.

Combate biológico

Prevenção/aspetos agronómicos

Realizar podas no sentido de favorecer a luz e a circulação de ar no interior da copa; cortar (no inverno) os ramos e folhas onde a praga esteja em grande quantidade; reduzir a adubação azotada.

Luta química biológica

Deve ser feita de julho a outubro (oliveiras) e em fevereiro-março (citrinos), com a pulverização com óleos de verão – desencoraja a postura de ovos -, e deve ser feita em toda a árvore, no início do outono; A aplicação de “Neem” (substância de origem natural), tem uma acção repelente sobre esta praga; Faça uma solução de sabão de potássio e álcool e pulverizar as cochonilhas e retire-as mais tarde com um pano. Deve realizar estes tratamentos a partir de maio.

Luta biológica

As joaninhas do género Chilocorus bipustulatus, Cybocephalus rufifrons, C.nigritus, Lindorus lophanthae e Exochomus quadripustulatus são ativos predadores das larvas e ovos. Parasitóides como Metaphycus sp, Coccophagus licymnia, C. scutellaris e Scutellista cyanea que se alimenta dos ovos. Fungo Verticilium lecanii.

Foto: Pedro Rau

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar