Aromáticas e Medicinais

A cultura da manjerona

manjerona

Ramo fresco de manjerona

A manjerona é uma planta muito aromática da região mediterrânica, hoje difundida em quase todo o mundo.

Nome científico: Majorana hortensis Moench.

Família: Lamiáceas

Nomes vulgares: Majarona, manjorana, marjerona-verdadeira

Descrição: De cultura anual ou vivaz, conforme o rigor do clima. De pequeno porte, caule semilenhoso na base, de secção quadrangular, ramificado, com indumento denso, esbranquiçado, folhas apostas, inteiras subelíticas, obtusas, de pecíolo curto, verde-acinzentadas, florres brancas ou esbranquiçadas em verticilos unipaucifloros reunidos em espigas oblongas terminais, capitadas e acompanhadas de brácteas em forma de colher, sementes pequenas e escuras.

Condições de cultivo: A planta exige condições de calor para exibir com intensidade as suas características aromáticas. Quando cultivada em regiões frias os princípios aromáticos reduzem-se muito significativamente. A planta propaga-se por semente, mas às vezes por divisão de pés, preferindo locais bem drenados. A sementeira ou plantação deve ser feita no princípio da primavera quando o tempo já não for muito frio e a colheita das folhas faz-se em pleno verão à medida que atingem o adequado estado de desenvolvimento e depois secas ao sol durante alguns dias.

Usos

Com regra esta aromática usa-se em culinária no estado seco. As folhas e as sementes são usadas como aromático em salsicharia, molhos, sopas e as folhas em saladas. Na medicina popular a planta é considerada excitante, antiespasmódica e sedativa.

Fotos: Thinkstock

Livro “Especiarias e aromáticas do campo à cozinha” de José Eduardo Mendes Ferrão

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram

Poderá Também Gostar