Jardim

Uma planta, uma história: Jasmineiro-amarelo

jasmineiro-amarelo

Os jasmineiros são primos das oliveiras, pertencem à mesma família – Oleaceae –, embora a géneros diferentes.

O género Jasminum possui cerca de 200 espécies de arbustos e trepadeiras indígenas de regiões tropicais e temperadas da Europa, Ásia e Oceânia.

Duas das espécies são naturais da Madeira. Uma, endémica da ilha, tem flores brancas, é muito rara na natureza e foi erradamente classificada de Jasminum azoricum; a outra, com flores amarelas, é comum ao arquipélago das Canárias.

É deste Jasminum odoratissimum que vos quero falar. Trata-se dum arbusto escandente, que gosta de viver em lugares secos e com forte exposição solar.

Forma uma grande mancha no ilhéu Chão, subarquipélago das Desertas, e aparece em núcleos mais pequenos no primeiro e segundo andares fitoclimáticos da ilha da Madeira.

Descrição

É perenifólio e as folhas alternas são geralmente constituídas por três folíolos, sendo o terminal maior (5-8 x 1,5-3 cm) que os dois laterais (1,5-3 x 0,5-1,5 cm).

As flores e os frutos

As flores, amarelas e muito aromáticas, agrupam-se em inflorescências terminais. Na natureza, surgem normalmente entre fevereiro e junho, mas, nos jardins, podem ser observadas durante todo o ano.

Os frutos elipsóides parecem pequenas azeitonas (1,5-3 cm de comprimento) e ficam negros quando maduros.

Utilização

Tem um bom desempenho ornamental e pode ser conduzido como trepadeira, porque lança ramos flexíveis com três a quatro metros de comprimento.

B.I.

Nome científico: Jasminum odoratissimum

Nome vulgar: Jasmineiro-amarelo

Porte: Arbusto

Família: Oleaceae

Origem: Arquipélagos da Madeira e das Canárias.

Morada: Jardim do Tojal, Faial, ilha da Madeira.

Fotos: Raimundo Quintal

Gostou deste artigo?
Então leia a nossa Revista, subscreva o canal da Jardins no Youtube, e siga-nos no Facebook, Instagram e Pinterest.


Poderá Também Gostar