Aromáticas e Medicinais

Conheça as margaridas do campo

A margarida ou bonina (Bellis perennis) é uma planta muito comum da nossa flora mediterrânica mas cujas virtudes medicinais caíram um pouco no esquecimento.

Os antigos gregos e romanos utilizavam-na e conheciam as suas propriedades terapêuticas, Plínio-o-velho atribuía-lhe propriedades cicatrizantes e aconselhava-a no tratamento de tumores. Nos campos de batalha era também usada para estancar o sangue, prevenir os inchaços e aliviar entorses e distensões musculares. Algo semelhante à arnica (Arnica montana) cujo habitat é muito mais específico e em Portugal só se encontra na Serra da Estrela, onde é uma espécie protegida.

Nicholas Culpeper (1616-1650 d.C), famoso herborista, médico e astrólogo inglês associava as margaridas ao signo de caranguejo e ao planeta vénus. Recomendava-as quer para uso interno como externo em cataplasmas, unguentos ou lavagens de feridas e tumores.

Gerard (1545-1611), outro médico e botânico inglês, refere-se também às boninas como importantes plantas medicinais para o alívio de dores, especialmente nas articulações. Na Alemanha do séc. XVIII consideraram-na uma planta abortiva e tornou-se praticamente uma planta proibida.

As margaridas simbolizam a inocência e estão muito associadas às crianças que fazem com elas colares e coroas. O seu nome Bellis perennis vem do latim e está associado à beleza singela e perene, pois permanece em flor durante muito tempo.

Descrição e habitat

Em inglês são conhecidas por daisies ou bruiswort, em francês marguerite, em alemão wildes massliebchen e em italiano bellide. Pertence à família das Asteráceas. Existe um pouco por toda a Europa em campos de pastoreio; bosques relvados; bermas de caminhos; locais húmidos e frescos até 2400m. É muito resistente, suportando pisoteio de animais e pessoas e frios intensos. É uma planta vivaz com folhas pecioladas dispostas em rosetas basais, flores delicadas, inodoras de cor amarelada ou branco-rosado. ;edindo entre 4 a 20cm, floresce a partir da Páscoa e durante quase todo o ano. Utilizam-se as folhas e flores.

Constituintes e propriedades

Contém saponósidos, óleos essenciais, taninos, constituintes amargos, mucilagem, ácidos orgânicos, resina e inulina. É útil como planta hemostática e anti-inflamatória no tratamento de feridas internas e externas; febre; gripe; bronquite; expetoração; edemas; entorses; furúnculos e hipertensão.

De acordo com a teoria das assinaturas de Paracelso (1493-1541), a margarida assemelha-se a um olho e portanto é útil no tratamento de problemas relacionados com a visão, incluindo olhos negros. De facto a sua ação adstringente é eficaz nestes casos, mas também para tratar varizes e hemorróidas, fortalecendo veias e capilares.

Têm ainda propriedades diuréticas, desintoxicando o organismo. Recomenda-se no tratamento de arterite, reumático, gota, problemas de pele como acne e frieiras. É um bom remédio para tratar problemas femininos como inchaço mamário, lesões pós operatórias em caso de cesarianas ou outras cirurgias abdominais. O remédio homeopático Bellis perennis é aconselhado durante a gravidez para músculos abdominais distendidos e dores uterinas.

Culinária

As folhas e flores são comestíveis e podem usar-se em saladas e sobremesas.

Jardim

Existem muitas variedades de margaridas que poderá semear ou plantar no seu jardim.

Gostou deste artigo? Subscreva o nosso canal no Youtube e siga-nos no Facebook, no Instagram e no Pinterest.

Poderá Também Gostar