Hortícolas e Frutícolas

Método biológico do balsaminho

Nomes Comuns: Balsaminho, melão-de-São-Caetano, balsaminha-longa, caramelo, erva-de-são-Caetano, fruto-de-cobra, melãozinho, karela, quiabeiro de Angola, erva-de-São-Vicente e erva-de-Lavadeira.

Nome cientifico: Momordica charantia

Origem: Ásia e África.

Família: Cucurbitaceas.

Características: Planta trepadeira, pode crescer até 4-10 m, com gavinhas não ramificadas. As flores masculinas e femininas, encontram-se no mesmo indivíduo. O fruto de cor verde (escuro, claro) ou branco-prateado, estriado, nodoso, mede 9-50 cm (depende das cultivares) de comprimento e quando maduro, abre, vendo-se o miolo de cor escarlate ou vermelho sanguíneo, onde as sementes castanhas ou cinzentas se encontram encerradas.

Factos Históricos: Cultivada desde 1700, na Índia e na China. O nome “Momordica”, significa mordidela, pois as bordas das folhas, parecem que foram mordidas.

Ciclo Biológico: Anual.

Fecundação: Monoica, com flores masculinas e femininas no mesmo indivíduo, precisando da ajuda de insectos, especialmente abelhas para ter uma boa polinização.

Variedades mais cultivadas: A variedade mais comercializada é a “Índia Long White”.

Parte comestível: Fruto verde (150-600 g), e folhas.

Condições ambientais

Solo: Prefere solos francos ou arenosos, ricos em matéria orgânica e bem drenados. O pH pode ir dos 4,3 até aos 8,7, mas prefere o pH de 6-6,7.

Zona Climática: Tropical e sub-tropical.

Temperaturas: Óptimas: 23-25ºC Min: 12ºC Max: 35ºC

Paragem do Desenvolvimento: 10ºC

Temperatura de Germinação: 26-29ºC.

Exposição solar: Gosta muito do Sol.

Altitude: Desde o nível do mar até aos 1000 m.

Humidade relativa: Moderada a alta.

Precipitação: Cresce em zonas com precipitação de 480-4100 mm/ano.

Fertilização

Adubação: Com composto feito com base de estrume de vaca, galinha e ovelha.

Adubo Verde: Azevem, colza e mostarda.

Exigências nutritivas: 2:1:4 ou 2:1:3 (azoto: fósforo: potássio).

Técnicas de cultivo

Preparação do solo: Pode utilizar um escarificador de bico curvo de ponta dupla, para uma lavoura ligeira, fragmentar os torrões e destruir as ervas daninhas.

Data de plantação/sementeira: No principio do verão.

Tipo de plantação/sementeira: A semente precisa de ser muito fresca, caso contrário surgem problemas na germinação. A pré-germinação é necessária, sendo as sementes demolhadas 24 horas, antes da sementeira. A plântula emerge 5-7 dias após a sementeira.

Faculdade germinativa (anos): 4-5 anos.

Profundidade: 2-3 cm.

Compasso: 60 x 60 cm ou 30 x 90 cm.

Transplantação: Quando tiver 3-4 folhas.

Rotações: Não deve voltar ao mesmo local durante 5-6 anos.

Consociações: Como é uma cultura muito expansiva e invasora, não é aconselhável a associação com outras culturas.

Amanhos: Deve-se fazer uma estrutura com postes de 90 cm, para que a planta, trepe e os frutos fiquem pendurados.

Regas: Precisa de muita água durante o seu crescimento. Pode ser regada pelo sistema de rega localizada (gota-a-gota).

Entomologia e patologia vegetal

Pragas: Mosca da fruta, ácaro vermelho.

Doenças: Não são conhecidas.

Acidentes: Não suporta ventos fortes.

Colheita e utilização

Quando colher: Antes de ficar amarelo alaranjado, deve-se colher ainda em verde, com 10-20 cm, conforme a variedade. Normalmente a colheita efectua-se 8-9 semanas depois da plantação.

Produção: Ao ar livre é de 20-30 ton/ha/ ano.

Condições de armazenamento: 3-4 semanas no frigorífico.

Valor nutricional: Rico em vitamina C, A e vitamina B9, B2, B1, contém também zinco, ferro e potássio, cálcio e fósforo. Aquinina, dá o sabor amargo ao fruto.

Usos: O fruto deve ser posto de molho antes de cozer, pois é ligeiramente ácido, as sementes e polpa devem ser retiradas, antes de o cozinhar. As folhas também podem ser consumidas, fervendo para não ficarem amargas.

Medicinal: O fruto serve para combater os vómitos, estimula a digestão, baixa o açúcar no sangue, promovendo a libertação de insulina, abaixamento do colesterol, e é antivenéreo. Recentes investigações, demonstraram que as folhas contem substâncias que atrasam o desenvolvimento da SIDA, infeções bacterianas e combatem o cancro. As raízes são consideradas afrodisíacas.

Fotos: GettyImages

Gostou deste artigo? Siga-nos no Facebook, no Instagram e no Pinterest e subscreva o nosso canal no Youtube.

Poderá Também Gostar