Jardim

Outubro: ordem para plantar!

O MÊS DE OUTUBRO é conhecido por ser um excelente mês para plantações. Tradicionalmente as temperaturas baixam, mas ainda se apresentam amenas, e existe forte probabilidade de chover o que origina boas condições para o estabelecimento das plantas.

ONDE PLANTAR

PLANO DE PLANTAÇÃO

Antes de proceder a uma plantação deve executar-se um plano de plantação que deverá ter tido em consideração questões como:

  • A planta é adequada ao tipo, textura e pH da terra apresentada no local escolhido?
  • O clima será o apropriado?
  • Recebe a quantidade adequada de sol ou de sombra?
  • Fica protegida ou exposta a ventos?
  • A planta caberá no local, ou vai crescer demasiado?
  • Ficará bem ao lado das suas novas vizinhas, ou o tamanho, forma e cor das folhas e flores ficam melhor numa área diferente do jardim?
  • Haverá água disponível?
  • Que condições de manutenção se poderão garantir?

COMO PLANTAR EXEMPLARES ENVASADAS

1. Desenformar a planta. Antes de o fazer deve ter-se a certeza de que a planta se encontra bem hidratada, o que geralmente implica uma rega pelo menos uma hora antes de executar esta operação. Para desenformar deve segurar-se a planta pelo colo com uma mão, virar o vaso ao contrário e com a outra mão, ou um cabo de um utensílio que esteja disponível, bater com firmeza na base do vaso. A planta deverá deslizar rápida e facilmente para fora do vaso, com o torrão da raiz intacto. Por vezes torna-se necessário dar umas “pancadinhas” laterais no vaso.

2. Separar as raízes que se encontram apertadas e desenrolar aquelas que se desenvolvem em espiral. Esta operação visa contrariar a tendência que essas raízes têm para se continuarem a desenvolver em espiral e facilitar o desenvolvimento de novas raízes. É uma operação que deve ser executada com algum cuidado para não danificar demasiado as raízes.

3. Podar as raízes que se apresentem secas, atrofiadas, com danos provocados durante a desenforma e que apresentem sinais de doença.

4. Abrir uma cova, rego ou vala suficientemente grande para que as raízes se acomodem sem se dobrarem, enrolarem e danificarem. O ideal seria ter um espaço disponível equivalente a duas vezes a dimensão do volume radicular.

5. Aproveitar para efetuar uma fertilização de fundo, e regar para garantir humidade e verificar se existem problemas de drenagem.

6. Colocar a planta à profundidade correta, segurando nesta com uma mão e em simultâneo com a outra introduzir lateralmente a terra para preencher o espaço sobrante. Só depois de ter o espaço completamente preenchido com terra é que se larga a planta da mão. Durante esta operação poderá trepidar-se ligeiramente a mão que segura a planta facilitando a introdução lateral de terra e sua integração com as raízes.

7. Colocar a planta e preencher com terra.

8. Calcar ligeiramente a terra à volta do colo para aconchegar a planta e regar bem.

9. Proteger as plantas contra agentes atmosféricos adversos, como sejam o vento forte e a geada, e animais, nomeadamente aves, roedores, lesmas e caracóis.

Particularidades

HERBÁCEAS ANUAIS

Para além dos aspetos gerais atrás referidos quando da escolha das plantas, deverá ter-se em atenção ainda os seguintes aspetos:

Durante o planeamento deverá ter-se conhecimento de quais as espécies que estiveram no local, e saber se tiveram alguma doença. No caso da cultura anterior ter tido doenças deverá evitar-se o uso da mesma espécie e de todas aquelas que sejam suscetíveis a essas mesmas doenças. Este aspeto pode ser contornado através de uma desinfeção do local, recorrendo para isso à técnica que for mais adequada à situação em causa.

O ideal é plantar ao fim do dia pois as plantas herbáceas geralmente são muito tenras e assim terão toda a noite para estabelecer um equilíbrio com o novo local, nomeadamente do ponto de vista hídrico. Caso tal não seja possível então a alternativa melhor é proceder à plantação de manhã bem cedo.

No caso da plantação de herbáceas de raiz nua acentua-se a necessidade de plantar ao fim do dia e de preferência numa altura em que haja bastante humidade atmosférica.

PLANTAS COM FLOR

No caso de se pretender proceder à plantação de plantas com flor deverão escolher-se plantas que ainda tenham os botões florais em formação ou que apresentem apenas um ou outro botão aberto, servindo neste caso de confirmação de que se trata da variedade pretendida.

Devem comprar-se plantas com pouca flor para garantir um maior período de floração.

ARBUSTOS E ÁRVORES

Devem ser plantados preferencialmente no outono ou primavera, para que possam enraizar antes do tempo seco do verão.

Relativamente aos arbustos e árvores, para além dos aspetos gerais atrás referidos quando da escolha das plantas, deverá ter-se em atenção ainda os seguintes aspetos:

Nos arbustos e árvores de raiz nua devem podar-se as raízes e também a parte aérea de modo a obter a forma que se ache conveniente. Eventualmente, quando existam, devem eliminar-se flores pois competem com a formação de novas raízes;

Nas situações em que as plantações vão ocorrer em zonas expostas, devem usar-se tubos de proteção contra roedores. A seleção desses tubos deve ser criteriosa pois devem proteger a planta, ser firmes, mas deixar escoar a água, o que implica que a sua colocação deverá efetuar-se convenientemente;

Quando os arbustos e árvores são plantados em zonas com declive acentuado ou encostas, devem criar-se caldeiras para retenção de água e evitar que ocorra erosão hídrica;

Nas situações em que os arbustos são altos e/ou se localizam em zonas expostas a ventos fortes, e sempre para as árvores, devem colocar-se tutores para os apoiarem de modo a evitar que tombem, se deformem e eventualmente morram.

Gostou deste artigo?
Então leia a nossa Revista, subscreva o canal da Jardins no Youtube, e siga-nos no Facebook, Instagram e Pinterest.


Poderá Também Gostar