Tendências de Jardinagem

SPOGA + GAFA 2022

A sustentabilidade foi o grande tema, e grande parte das novidades eram à volta desta preocupação mundial crescente.

 

Voltar a visitar a Spoga + Gafa, após quase três anos sem este evento, foi uma ótima experiência e um regresso muito desejado a esta que é o maior feira da Europa, do mundo da jardinagem, mobiliário de jardim e tudo o que se relaciona com a vida ao ar livre. É sempre muito enriquecedor voltar à cidade de Colónia, uma cidade com um património arquitetónico notável, cuja magnífica catedral tem um especial destaque, assim como o jardim botânico e toda a zona do centro histórico. A sua proximidade e relação com o rio Reno é também uma das grandes mais-valias. Toda a zona de maravilhosas esplanadas e restaurante à beira-rio são espaços onde apetece estar nestes dias que se prolongam com o pôr do sol quase às dez da noite e com temperaturas acima dos 30 ºC, porque na Alemanha faz muito calor nesta época do ano.

Esta é também uma cidade verde, uma vez que a câmara municipal tem tido nos últimos anos um cuidado crescente com esta temática e é cada vez maior o número de espaços verdes públicos disponíveis. Também os jardins particulares e a preocupação com as varandas e terraços têm nesta cidade uma grande presença, e vemos pequenos jardins tratados com muito esmero e bom gosto em todas as zonas residenciais, bem como varandas e terraços que são verdadeiras salas de estar verdes no exterior. Esta é a cidade certa para este grande evento.

Nunca será demais referir que, embora a preocupação com o espaço exterior estivesse a aumentar nos últimos anos e a Spoga + Gafa de 2019 tivesse sido um evento repleto de expositores e de novidades, com a covid, todo o sector teve um aumento absolutamente extraordinário, com as pessoas fechadas em casa a aproveitarem os pequenos espaços exteriores disponíveis para trazerem um pouco de Natureza e de verde para as suas vidas. Dado este contexto, nesta visita, era grande a expectativa, o entusiasmo e também a curiosidade face ao que iria encontrar.

Esplanadas em Colónia

Colónia

Primeiras impressões

Uma feira como sempre muito bem organizada, com muito menos afluência do que o habitual no primeiro dia, domingo, o que foi estranho mas até de certa forma agradável, porque me permitiu ver tudo com muito mais calma e atenção. Nos outros dias, segunda e terça-feira, já se notava uma grande afluência, muito parecida à dos anos anteriores à pandemia. Em termos de expositores, eram em menor número do que em edições anteriores, com muito pouca presença de empresas da China, em especial, e da Ásia, em geral, o que foi bastante positivo, pois normalmente são pavilhões com menor interesse.

Notei a falta de algumas empresas grandes do sector, nomeadamente as empresas italianas de mobiliário para o exterior.

Esta foi a primeira vez que a Spoga foi realizada nesta data, normalmente era em setembro. Para o sector esta é uma data mais favorável pois dá tempo para que se façam as encomendas com mais antecedência para a próxima estação.

Tendências do sector

A sustentabilidade está definitivamente na ordem do dia, e muitas marcas revelam não só essa preocupação, como a necessidade de comunicar isso mesmo. Hoje em dia não basta os produtos serem sustentáveis; é importante que quem os vai comprar saiba exatamente o porquê de eles terem essa designação. Isso implica o conhecimento exato das matérias-primas utilizadas, bem como dos processos de fabrico. Uma vez que a sustentabilidade pode ter vários níveis, desde a utilização de materiais reciclados à utilização de energias limpas no seu fabrico, o facto de serem posteriormente recicláveis e de serem ainda peças certificadas como comércio justo (quando todas as regras de
contratação e direitos dos trabalhadores que fabricam as peças são respeitados), contar a história do produto é algo que lhe dá credibilidade e faz a diferença na hora da decisão da compra.

Casa para pássaros

Casa para pássaros

Poupança de água

Uma preocupação crescente prende-se com a recolha de água da chuva para posterior utilização na rega. Com a preocupação crescente com as alterações climáticas, está a aparecer toda uma nova geração de reservatórios com um desenho elegante e com a possibilidade de, no topo, terem floreiras para cultivo dos mais variados tipos de plantas. A oferta de floreiras com rega incorporada, sistemas de rega inteligentes, sistemas de rega para as férias visa sempre poupar água e facilitar a manutenção das plantas, quer sejam as de interior ou de exterior.

Vasos e floreiras

O que mais me chamou a atenção foi a grande oferta de vasos e floreiras de tamanhos grandes, algo que não era muito usual nas edições anteriores. Poucas marcas tinham vasos grandes; hoje em dia, há uma grande variedade de tamanhos, formas, cores, materiais e acabamentos. Definitivamente, já não há desculpa para não se cultivarem plantas XL em vasos, bem como todo o tipo de árvores.

Esta oferta acompanha a tendência de que o espaço exterior já não é só um amontoado de meia dúzia de vasos pequenos; hoje em dia as pessoas querem ambientes mediterrânicos, tropicais ou mesmo desérticos, com catos e suculentas, mas querem plantas grandes.

O mesmo acontece com a oferta de vasos para o interior. Com a moda das selvas urbanas, há a necessidade de acomodar plantas gigantes e para isso são precisos vasos onde elas consigam desenvolver-se em boas condições, e nunca nos devemos esquecer que a dimensão da parte radicular de uma planta é sempre proporcional à dimensão da sua parte aérea. Em termos de materiais, o plástico reciclado está na ordem do dia, mas a cerâmica, o barro, a madeira e as fibras têxteis continuam a aparecer como alternativa e com uma oferta cada vez maior de formas,
dimensões, cores e acabamentos.

Vasos com plantas

Plantas para casa

Reciclagem e sustentabilidade

Nesta edição da feira, notou-se uma preocupação crescente com a apresentação de soluções que permitam uma maior sustentabilidade a todos os níveis, através, por exemplo, do recurso a materiais sustentáveis, como madeira produzida de forma a não ter impacto na Natureza, ferro, tecidos vários, fibras vegetais, etc., ou do recurso a materiais recolhidos do mar (plástico proveniente de redes dos pescadores, que muitas vezes são atiradas ao mar, prejudicando em muito a vida marinha, e outros plásticos recolhidos, como garrafas, copos, embalagens várias), que são transformados em peças de mobiliário, vasos, floreiras e até ferramentas e peças de decoração. Materiais e fibras feitas a partir de grãos de café, bambu e outras plantas aparecem cada vez mais como alternativas ao plástico.

Notei também uma grande melhoria na comunicação desses mesmos produtos, pois é tão importante a existência destes produtos como a sua boa comunicação, para que o consumidor final saiba de que forma está a contribuir para um maior cuidado com o planeta.

Happy Ocean Pots

Marcas como a ELHO destacam-se pelos excelentes produtos, este ano pela gama de vasos feita a partir de redes de pesca. Batizada como Happy Ocean Pot é constituída por vasos de variados tons de azul e verde; o mesmo vaso não tem um tom uniforme, é matizado, o que cria um efeito muito bonito uma vez que cada um é único. Até agora todos os produtos eram fabricados a partir de 90% de materiais provenientes de reciclagem, mas, a partir de 2023, todos os produtos serão feitos a partir de matérias-primas provenientes de materiais 100% reciclados e todas as energias utilizadas na produção são energias limpas.

A frase da marca já de alguns anos é “give room to nature” e isso aplica-se não só ao facto de fazerem tudo para que as pessoas tragam a Natureza para dentro de casa, mas também pelo facto de a marca se preocupar ela própria em respeitar a Natureza.

A ELHO é a primeira empresa do sector a ter a certificação TUV, que garante que os seus vasos têm pelo menos 97% de plástico reciclado na sua composição, e esta certificação é muito importante e diferenciadora nesta indústria.

Vasos com plantas para casa

Tecnologia

Foram muitas as ofertas tecnológicas que tive oportunidade de conhecer neste evento, mas o Garden Connet foi das que me despertou mais a atenção. Uma aplicação para os centros de jardinagem e lojas que vendam mobiliário de jardim que permite, através da realidade virtual e aumentada, que as pessoas possam ver como ficam as plantas e as peças de mobiliário e decoração que estão a escolher no seu jardim, varanda ou terraço. Uma ajuda muito eficaz que permite ver se o que se vai comprar não só cabe, como também funciona e fica da forma que se pretende, no próprio espaço a que se destina.

Jardinar com crianças

Nunca em nenhuma outra edição vi tanta preocupação com a jardinagem para os mais novos. Uma oferta incrível ao nível de ferramentas, luvas, regadores e também de equipamentos para que as crianças tenham vontade de pôr as mãos na terra, mobiliário ergonómico, adaptado ao tamanho e ao gosto das crianças (com formas e cores apelativas). Uma grande variedade de pequenas horas urbanas, para os mais pequenos, para todos os gostos, para espaços de todas as dimensões e até para jardinar dentro de casa. Muitas ferramentas e equipamentos com os bonecos da moda, para conquistar os mais novos a jardinar e a cultivar com os “seus ídolos” da TV.

Utensílios para jardinar com crianças

Utensílios para jardinar com crianças

Compostagem

Este foi outro sector onde senti um enorme crescimento desde a última edição. Já na My Plant & Garden em fevereiro, a feira em Milão dedicada às plantas e jardinagem, tinha visto uma série de soluções inovadoras para fazer compostagem. Mas aqui havia uma enorme variedade de soluções, fabricadas com todo o tipo de materiais, desde cortiça, madeira, plástico reciclado, etc., e toda uma variedade de dimensões de compostores, desde o mais pequeno para ter na cozinha até aos grandes para ter na horta e no jardim.

Empresas como a Skaza têm soluções de compostagem muito compactas e inovadoras que podem ser usadas na cozinha como se fossem um simples caixote do lixo, reduzindo os resíduos orgânicos e produzindo um excelente fertilizante para as plantas. Soluções com e sem minhocas, e um grande destaque para os compositores Bokashi, que permitem fazer uma compostagem limpa na cozinha ou em qualquer sítio.

Hortas urbanas

As soluções para cultivar alimentos em casa, na varanda, no terraço, no jardim ou numa pequena horta são muitas e para todos os gostos, para todo o tipo de espaços e para todos os orçamentos, Desde os equipamentos mais sofisticados e estufas maravilhosas com regas, adubações e iluminação incorporada até hortas muito simples, com acabamentos de madeira, tela ou chapa, apenas para criar uma estrutura de canteiro e cultivar.

A moda de cultivar alimentos veio para ficar, e as marcas são muito imaginativas e querem de facto inventar soluções para cultivar tudo em casa desde batatas, abacates e árvores a pequenos frutos, germinados, microvegetais e saladas várias, etc.

A par das próprias hortas, a oferta de sistemas de rega, ferramentas, substratos e adubos biológicos é também muito grande para que toda a arte de cultivar a terra seja não só simplificada como agradável e saudável.

Equipamentos e utensílios para hortas urbanas

Hortas urbanas

Pássaros e insetos

Esta é uma verdadeira tendência, com muitas marcas a apostar em inúmeros produtos destinados a chamar pássaros e insetos para as varandas, terraços e jardins. Há modelos para todos os gostos, desde os mais rústicos aos mais tecnológicos, com aplicações e sons que chamam os pássaros e com doseadores automáticos que vão libertando a comida à medida das necessidades dos animais.

Casas para pássaros de todas as formas e feitios, cores e tamanhos e para todo o tipo de decorações e ambientes. Esta é de facto uma moda que veio para ficar, muitas marcas apostaram neste nicho de mercado e apresentam soluções verdadeiramente inovadoras e apelativas.

O mundo dos BBQ, cozinhas de exterior e lareiras

Gosto sempre muito de visitar os pavilhões dos BBQ, embora à primeira vista possa parecer que este não seja um tema que me interesse diretamente. Aprecio ver a diversidade de modelos, o arrojo do design, a qualidade dos materiais, a sofisticação, a inovação, e delicio-me a observar todos os gadgets associados. Não perco os shows dos chefs internacionais de cozinha associados que são sempre uma animação e normalmente cada marca traz as suas estrelas.

São sempre umas horas que dou por bem empregues, durante as quais aprendo sempre muito. Deixo-me sempre encantar pela variedade de grelhadores, lareiras, fogos de chão e fumeiros e com algumas cozinhas de exterior que me deixam a sonhar com casas de praia ou de campo, onde saboreamos refeições com tempo e calma, nas férias ou fins de semana.

Este ano conheci uma marca que me agradou especialmente, a Barebones. Além de ter um fantástico grelhador todo em ferro, tem um serviço em aço inoxidável com um design vintage em vários tons pastel, várias panelas e tachos de ferro, candeeiros, ferramentas, luvas, peças únicas, feitas com grande qualidade e cumprindo todos os pressupostos da sustentabilidade, por um lado, e do comércio justo, por outro.

Uma novidade muito interessante este ano, na tradicional 6 O’Clock Party de domingo, no famoso restaurante Rheinterrassen, com uma fantástica vista sobre o rio Reno, foi que cada uma das grandes marcas de BBQ tinha a sua equipa de chefs a cozinhar para os convidados e
posso dizer-vos que tive oportunidade de experimentar iguarias maravilhosas confecionadas pelas equipas da Tramontina, Weber, Barbecook, entre outros.

Cozinhas exteriores e lareiras

Cozinhas exteriores e lareiras

Jardinar com bom gosto

As tarefas de jardinagem passaram a fazer parte do dia a dia de muitas pessoas e por isso passou a haver uma necessidade muito maior de ferramentas de jardinagem. Peças como regadores, pulverizadores, pás, ancinhos, luvas, plantadores ou caixas para arrumar as ferramentas que passaram a fazer parte do material que temos em casas. Tesouras de poda, afiadores, aventais de jardinagem, protetores para os joelhos, galochas, etc. começaram a ter uma procura como nunca. E passou a haver a exigência por parte de alguns consumidores de que estas peças tivesse qualidade, bom gosto alguma sofisticação e não fossem apenas peças funcionais; aquilo que já existia num nicho de mercado em Inglaterra e em França começou a alargar-se a outros países.

O mercado acompanhou essa procura, e começa a aparecer uma grande oferta de regadores lindos, luvas de pele artesanal, tesouras de poda e pás ergonómicas de aço e outras peças únicas para dar resposta aos clientes mais exigentes, que não se importam de pagar mais para ter peças de boa qualidade e de design exclusivo.

Iluminação solar

Verifiquei que há cada vez mais oferta para a iluminação dos jardins. Desde modelos clássicos e étnicos ao mais inovador design, com peças de uma enorme elegância e discrição que iluminam sem quase se notar a presença delas.

Também a preocupação com o consumo de eletricidade é um tema, sendo a maior parte destas luminárias com LED e muitas delas de alimentação por energia solar. Muitas não necessitam de nenhum tipo de instalação elétrica.

Muitos candeeiros usados no exterior são peças de decoração que parecem ter sido transferidas das salas interiores para as salas exteriores, pois os espaços lá fora são cada vez mais tratados com elegância e cuidado.

Material de jardinagem

Material de jardinagem

Mobiliário de exterior

Para perceber melhor as tendências e este mercado, fiz duas visitas guiadas, uma delas organizada pela feira. Foram-nos mostradas algumas das tendências do sector, que passam pelo bem-estar, com oferta de um grande número de equipamento como redes, redes, baloiços, camas de dia, pérgulas, guarda-sóis, etc.

A decoração para o exterior teve um enorme upgrade, os terraços e os espaços exteriores são agora tratados como verdadeiras salas de estar, de jantar ou espaços lounge, onde o conforto, a beleza e o design se conjugam.

O design tem cada vez mais qualidade e os materiais usados também, sendo peças que se pretende durem muito tempo.

Há cada vez mais mobiliário modular que permite aumentar e diminuir consoante o número de pessoas, que se adapta ao espaço e às necessidades.

As zonas de refeição exterior são verdadeiras salas de jantar, com mesas imponentes e cadeiras forradas com tecido, onde são colocadas almofadas bonitas e confortáveis.

Há cada vez maior oferta de aparadores e mesas de apoio para completar o mobiliário das zonas de refeições e para que estas se tornem mais
funcionais e acolhedoras. O recurso a automatismos para fechar e abrir estruturas de ensombramento, como pérgulas e guarda-sóis, começa a ser cada vez mais usual, o que facilita em muito a vida ao utilizador.

Em termos de cores e padrões para os têxteis, a oferta é muito grande sendo os padrões que imitam a Natureza (flores, plantas, folhas, pássaros e animais em geral), os que se impõem mais como tendência atualmente.

As cores pastel, como o verde-água, verde-menta, cor-de-rosa, salmão, lilás e beges são uma tendência. No entanto, cores mais fortes como o
verde-musgo, cor de vinho ou cor de tijolo, azul-céu ou azul-escuro também aparecem conjugadas com tons mais neutros como os cinzentos, brancos e beges. No entanto, os vários tons de cinzento continuam a ser os que mais se utilizam, embora muitas vezes combinados com outras cores contrastantes.

Os dourados luxuosos aparecem em vasos, floreiras e em alguns apontamentos nos tecidos, nos candeeiros, nas peças de decoração mas não tanto no mobiliário.

Mobiliário de exterior

Mobiliário de exterior

Materiais

Embora a madeira, principalmente grandes peças e em bruto, ainda seja uma grande tendência, há marcas que por uma questão de sustentabilidade têm vindo a reduzir a sua utilização. As madeiras que aparecem são de boa qualidade e com a garantia de que a sua recolha cumpre todas as regras da sustentabilidade e comércio justo. O metal preto é um material muito presente, a pedra bem utilizada; principalmente em mesas, é um elemento diferenciador, exclusivo e que marca o espaço.

Os têxteis são cada vez mais utilizados no exterior, cada vez mais almofadas e os sofás parecem os do interior, só que colocados na parte de fora da casa. As salas saem para fora de casa e prolongam-se no espaço.

Design neerlandês

Suns, Exotan, Boker, Happy Cocooning

Graças à minha amiga neerlandesa Reina Albinus, grande especialista em design e editora de uma revista de tendências de design de mobiliário exterior, conheci algumas das melhores marcas de mobiliário exterior neerlandesas que operam no mercado.

Tive também a oportunidade de conhecer alguns dos donos e fundadores dessas empresas, bem como um dos designers, o Wout Bekkers, um jovem designer da Suns, uma das melhores marcas holandesas de mobiliário exterior. Segundo Bekkers, hoje em dia os consumidores preocupam-se com o conforto do mobiliário de exterior, com a beleza, com a versatilidade e com a qualidade, já tratam o terraço ou a zona de estar exterior como uma sala de estar lá fora.

Todas estas marcas holandesas apostam numa enorme qualidade de materiais, quer ao nível das madeiras quer ao nível das fibras, dos têxteis, das pedras, dos rattans, e têm um grande controlo de qualidade no fabrico. Foi muito interessante perceber que o mercado está a mudar, não só em termos de design mas também em termos de público e de produção. O crescimento durante a pandemia foi enorme, com os stocks a esgotarem-se um pouco por todo o lado e com as empresas a perceberem que dependerem totalmente do fabrico no Oriente foi
um fator limitante, bem como os preços dos transportes a aumentar de forma exponencial.

Marcas como a Suns ou a Exotan estão a começar a mudar alguma da produção para a Europa. O facto de a origem do fabrico estar a duas ou três horas de distância faz muita diferença, não só para as entregas como para a comunicação geral e controlo de qualidade. Marcas como a
Happy Cocooning são lideres ao nível do design e comercialização de lareiras de exterior e pit fires, lançando todos os anos novos modelos
que vendem para um grande numero de países.

Mobiliário de exterior

Mobiliário de exterior

PRÉMIOS GARDENA E PRÉMIOS SPOGA

Mais uma vez a Gardena, em parceria com a Spoga + Gafa, com a BHB (associação alemã de estabelecimentos de DIY) e com o apoio da IVG (Associação dos Centros de Jardinagem alemães), lançou este prémio que tem como objetivo a procura de soluções inovadoras e sustentáveis para os jardins e jardinagem do futuro.

Este ano o primeiro lugar foi atribuído ao projeto Bird Buddy, dos Estados Unidos da América, que apresenta o primeiro comedouro de pássaros inteligente, que vai disponibilizando o alimento à medida das necessidades dos pássaros, integrando ainda uma aplicação que faz o reconhecimento das espécies de pássaros da zona, com base em fotografias e streaming. Este dispositivo tira fotografias dos pássaros que estão a comer e cria uma galeria onde as fotografias estão organizadas, e o dono do comedouro, fica a conhecer quem o visitou se alimentou.

O segundo prémio foi para o projeto Hiive, da Alemanha, que apresentou uma colmeia ecológica, construída com materiais sustentáveis como madeira e argila. Com uma forma cilíndrica que copia o exemplo da Natureza, tem uma cobertura que a protege do sol, chuva, vento e neve. Desmonta-se facilmente, sendo possível observar o seu interior e retirar o mel com facilidade.

É uma estrutura modular, o que permite que todos os seus componentes possam ser retirados e substituídos de forma simples e intuitiva se necessário. Também se conseguem alimentar as abelhas em alturas em que estas tenham falta de alimento. A ideia desta colmeia é ter algo muito funcional, resistente, próximo da Natureza com pouca intervenção humana.

O terceiro lugar foi para o projeto Respira, do Canadá, que concebeu uma floreira inteligente que permite criar uma melhor qualidade ambiental dentro de casa. Nesta floreira vertical, que garante todas as necessidades de substrato, água e luzes LED de crescimento, podemos, mesmo em sítios com pouca luz, ter um grande número de plantas que irão ajudar na biofiltragem do are produzir oxigénio, contribuindo
para um ambiente mais saudável. O prémio especial da Spoga + Gafa foi para o projeto The Plant Box. Trata-se de um serviço de entregas ao
domicílio de floreiras já plantadas e prontas a ter em casa. Escolhe-se a floreira e cinco tipos de combinações de plantas que serão entregues e substituídas sazonalmente. Há várias combinações possíveis, de acordo com o gosto e com as condições da casa ou varanda de cada um.

Primeiro prémio

Primeiro prémio

Empresa portuguesa vence o prémio de 2021

O prémio especial do ano passado, que foi entregue numa cerimónia online, foi para uma empresa portuguesa, a Spawfoam, que criou uns vasos biocompósitos totalmente degradáveis e que podem ser usados tanto na produção de plantas como em jardinagem. Duram até dois ou três anos e depois são incorporados na compostagem ou mesmo no jardim. A Spoga + Gafa de 2022 valeu mesmo muito a pena e foi das feiras que mais gostei de visitar nos últimos anos e espero com grande espectativa a de 2023!

 

Texto: Teresa Chambel

Fotos: Teresa Chambel, Suns e Borek

 

Gostou deste artigo? Então leia a nossa Revista, subscreva o canal da Jardins no Youtube, e siga-nos no Facebook, Instagram e Pinterest.


 

Poderá Também Gostar