Hortícolas e Frutícolas

Da varanda para o prato

Atualmente, a prática de cultivo de hortícolas e frutos em casa é cada vez mais comum. Os motivos? Uma maior preocupação com a saúde e uma necessidade de “voltar à terra”.

No entanto, a maioria das pessoas não tem um jardim. Assim, cultivar em varandas ou terraços é a melhor opção para muitos destes jardineiros urbanos. E a verdade é que vantagens não faltam!

Porquê ter uma horta na varanda?

Muitas hortícolas não requerem um espaço grande

As hortícolas precisam de pouco espaço para se desenvolverem (em 1 m2 produz uma série de plantas). No entanto, deve ter a noção de que nunca será igual a uma horta tradicional a nível de variedade e quantidade de plantas produzidas.

Precisa de pouco investimento

O investimento inicial de criar uma horta na varanda é muito baixo. No início, vai precisar de ferramentas e materiais básicos como pá, tesoura, regador, luvas e substrato. Depois pode ir aos poucos comprando os vasos e floreiras e ir propagando as plantas por semente ou por estaca.

Precisa de pouco tempo de manutenção

Uma horta na varanda não exige que faça tarefas como escavar, sachar, mondar, etc., o que lhe poupa tempo e energia.

Tem menos infestantes que uma horta tradicional

Como a varanda é um ambiente mais protegido, acaba por ser mais controlado o aparecimento de infestantes.

Cuidados a ter

O Siro Hortícola é não só um substrato mas também um local onde pode plantar as suas hortícolas.

 

Substrato

As hortícolas, na sua maioria, necessitam de muita matéria orgânica. Além disso, é muito importante utilizar um substrato próprio para este tipo de plantas, que lhes forneça os nutrientes de que necessitam.

Uma opção muito prática é o Siro Hortícola – um saco de cultivo com substrato biológico onde, através de orifícios, pode plantar diretamente as hortícolas. Na parte inferior, tem micro-perfurações para garantir a drenagem. O Siro Hortícola contém fertilização orgânica, pelo que não precisa de adubar ao plantar. Só tem que fertilizar passados seis meses com um adubo para hortícolas.

Tenha o cuidado de substituir o substrato de ano para ano (não reaproveite, pois está completamente esgotado). Se a planta estiver numa floreira muito grande, pode substituir apenas uma parte do substrato, mas adicione matéria orgânica.

Rega

As hortícolas são plantas que geralmente precisam de muita água. No entanto, grande parte das hortícolas em floreira ou em vaso morrem de asfixia radicular provocada por uma drenagem deficiente e rega excessiva. Por isso, lembre-se: regue apenas quando o substrato está seco.

Que plantas escolher?

Para cultivar com sucesso uma horta na varanda é ideal escolher plantas que não cresçam demasiado e cujo volume não seja invasivo. De preferência, deverão ser de crescimento rápido, para aproveitar as primeiras colheitas. Acima de tudo, é preciso ter bom senso: cultive o que consome mais; não cultive “especialidades” que não conhece e que raramente vai consumir.

Eis algumas plantas ideais para ter na varanda:

Acelga

Beta vulgaris var cicla

Exposição solar – Sol pleno.

Solo – Rico em matéria orgânica. Altura: 20 cm.

Época de sementeira/plantação – Semear em local definitivo entre abril e maio, colocando uma ou duas sementes em cada buraco afastados 20 a 30 cm. Ou então cooque três ou quatro sementes numa floreira. Plantar em maio ou quando tiver passado o frio.

Densidade de plantação – 4/5 plantas/m2.

Colheita – Junho-agosto.

Rega – Gosta de ter o solo sempre fresco e húmido.

Alface

Lactuca sativa

Exposição solar – Sol pleno.

Solo – Rico em matéria orgânica, fresco. Altura: 15 cm.

Época de sementeira/plantação – Todo o ano.

Densidade de plantação – 20 plantas/m2.

Colheita – Um mês após sementeira ou plantação. Corte apenas as folhas de fora para as alfaces se irem regenerando.

Rega – Gosta de ter o solo sempre fresco e húmido.

Cenoura

Daucus carota

Exposição solar – Meia sombra.

Solo – Arenoso, leve e com alguma profundidade.

Época de sementeira – Março-maio. As cenouras só se reproduzem por semente, logo não vai encontrar plantas à venda. Deve semear no local definitivo. Faça um sulco e distribua as sementes uniformemente tapando-as no máximo com 1 cm de substrato.

Densidade de plantação – 14/16 plantas/m2.

Colheita – Três meses após sementeira.

Rega – Mantenha o substrato sempre húmido.

Rúcula

Eruca vesicaria sub. sativa

Exposição solar – Meia sombra.

Solo – Qualquer tipo.

Época de sementeira – Sementeira na primavera (abril-maio) e no outono (outubro-novembro). Pode fazê-la em local definitivo ou tabuleiro de alvéolos.

Densidade de plantação – 8/10 plantas/m2.

Colheita – Junho-setembro; fevereiro-abril.

Rega – Quando o solo está a ficar seco, regue.

Tomate-cereja

Lycopersicum esculentum

Exposição solar – Sol pleno.

Solo – Rico em matéria orgânica.

Época de sementeira/plantação – Sementeira a partir de março, plantação a partir de maio-junho.

Densidade de plantação – 4/5 plantas/m2.

Colheita – Dois a cinco meses após plantação/sementeira. Colha os tomates um a um, cortando-os pelo pedúnculo.

Rega – O substrato deve estar sempre húmido.

Visite o site da Siro e descubra mais sobre o substrato Siro Hortícola.

Powered by Siro

Fotos: Thinkstock

Poderá Também Gostar