Plantas

Conheça os fetos arbóreos

Vista de baixo de fetos arbóreos numa floresta

Quando pensamos em fetos, imaginamos aquelas plantas de folhagem atrativa, densa e de porte pequeno. Mas em determinadas partes do mundo, alguns fetos crescem bastante, atingindo portes consideráveis, tal como as árvores de grande porte. Assim, consideram-se fetos arbóreos, todos aqueles que possuam um tronco e uma folhagem aérea. Este tipo de fetos pertencem à ordem Cyatheales, e são originários das florestas húmidas e tropicais de todo o mundo.

Apesar do aspeto arbóreo, o tronco dos fetos é muito diferente do tronco em casca e madeira de uma árvore. No caso dos fetos, os troncos são constituídos por rizomas modificados para crescerem verticalmente e incorporados num manto de raízes. Estes troncos podem atingir cerca de 25 metros, quando no seu habitat natural.

Variedades mais utilizadas

De todos os fetos arbóreos, as variedades mais conhecidas são Cyathea cooperi e a Dicksonia antartica. A diferença morfológica mais visível entre estes dois tipos de fetos, está nas suas folhas. As Dicksonias são cobertas por vários tipos de pêlos, enquanto as Cyatheas possuem espinhos, embora também possam aparecer alguns pêlos. O feto Cyathea cooperi é também conhecido por Feto-da-Austrália (continente de onde é nativo) e é das variedades mais cultivadas como planta ornamental, sendo muito utilizada em jardins, parques e até mesmo como planta de interior. Mas não se preocupe, em condições limitadas de solo (como em vaso) e com a humidade e temperatura controladas, dentro de casa o feto nunca atinge proporções exageradas.

Vista de baixo de fetos arbóreos numa floresta

Curiosidade

Apesar de, nos últimos anos, os fetos arbóreos se terem tornado cada vez mais populares pelo seu tronco e folhagem frondosos, estas plantas são consideradas um fóssil vivo, tendo sido encontrados registos que remontam ao período Jurássico (199.6 a 145.5 milhões de anos atrás).

Plantação

Tal como qualquer outro tipo de feto, os arbóreos preferem locais protegidos do vento, em sombra ou meia sombra e húmidos. Em locais de exposição total ao sol, esta variedade não se desenvolve tão bem, tornando-se mais exigente em regas. Ao escolher o local de plantação, tenha também em atenção o tamanho que o feto pode vir a atingir, por isso ofereça um local com espaço para que a copa possa crescer sem limitações, e tornarse tão frondosa quanto o desejado.

O solo deve ser rico em húmus e ligeiramente ácido, por isso ao plantar, adicione matéria orgânica de modo a promover um meio fácil para o desenvolvimento das raízes.

Apesar de resistente ao frio, os invernos rigorosos podem queimar as folhas desta variedade. Esta é uma característica destas plantas, não é motivo para preocupações, pois assim que a temperatura começar a subir, novas folhas começam a rebentar. No entanto, pode sempre proteger estes fetos dos danos do frio, colocando um punhado de palha na coroa do tronco e amarrando as folhas sobre si próprias. Esta proteção deve ser retirada logo no início da primavera, antes do aparecimento dos novos rebentos.

Pormenor da folhagem de um feto Cyathea cooperi

Regas

A rega é um dos factores mais importantes no desenvolvimento dos fetos, pois o segredo para um correto cuidado dos fetos arbóreos é não deixar a planta secar. Lembre-se que os fetos são originários das florestas tropicais e húmidas, por isso tente recriar estas condições ao máximo. Efetue uma nova rega assim que o substrato estiver a secar. Em caso de estações secas, os cuidados com as regas devem ser redobrados, podendo regar todo o tronco e a folhagem, mesmo quando os fetos já se encontram em estado adulto. Nos primeiros anos, o feto não precisa de adubos, apenas de água. Uma vez estabilizados no jardim, podem ser adubados com adubo rico em nitrogénio, especialmente quando novas folhas começarem a surgir.

Interior

Devido ao crescimento lento dos fetos (cerca de 2 a 3 cm de altura por ano) e ao seu aspeto arquitetónico, estas plantas têm vindo a ser muito procuradas para embelezar o interior das casas. Ofereça-lhe um local com bastante luz, mas longe da luz direta, fundamental para promover o seu desenvolvimento. Pode recorrer à remoção das folhas mais velhas, situadas na camada mais baixa, sempre que estas estiverem amarelas. Deste modo ajuda a promover o desenvolvimento do tronco. Por fim, atribua ao feto um local de destaque para que o possa apreciar todos os dias!

Fotos: Thinkstock

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar