Cultivar Bio

Flores para cultivar na horta

flores para cultivar na horta

Frésia. (Foto: Thinkstock)

 

A minha horta tem mais ar de jardim do que de horta; direi que é uma horta-jardim, com aspiração de um dia vir a ser pomar. Graças a esta diversidade, não tenho pragas preocupantes no meu jardim. Vou deixar-vos aqui algumas sugestões de plantas companheiras e  flores para cultivar na horta.

As rosas

Não dispenso rosas, que são sempre boas indicadoras de doenças pois os sintomas aparecem sempre primeiro nas roseiras. Por essa razão, são muito utilizadas nas vinhas. Depois uso as rosas em doces e compotas, para aromatizar águas, para decorar pratos, para cristalizar, quanto mais perfumadas forem, mais interessante é o seu sabor. Gosto muito das pequeninas rosas-de-Santa-Teresinha de aspeto delicado, mas muitíssimo robustas e muito bonitas em sebes, já que florescem durante grande parte do ano.

Manjericão e tagetes. (Foto: Fernanda Botelho)

As calêndulas e os tagetes

As calêndulas e os tagetes ou cravo-túnicos, também conhecidos por cravos-da-índia ou cravos-mexicanos, são imprescindíveis em agricultura biológica. Consociam-se muito bem com tomateiros e manjericão, livres de nemátodos, mosca-branca, formigas e até toupeiras. Existem de várias cores e tamanhos e também se podem adicionar em saladas. Dão muita luz e alegria aos canteiros, às estufas e às hortas, pois os seus tons são de cores quentes entre os amarelos e os acastanhados, passando por laranjas vibrantes.

Os cosmos

Costumamos vê-los na parte do jardim e não do lado da horta, em quintais urbanos e suburbanos, mas, juntos com as couves, as beringelas e outras hortícolas, dão um ar mais colorido e biodiverso à sua horta-jardim. Originários do México, também as suas lindas flores brancas ou cor-de- rosa são comestíveis.

A arruda

Já a arruda, muito associada a superstições, afasta o besouro-japonês das roseiras e framboeseiros, mas incompatibiliza-se com o manjerico e manjericão.

As equináceas

Gosto de ver também as equináceas nas hortas pelo seu alegre colorido, rosa-forte, no verão, pela imensidão de borboletas e abelhas que atrai e pelas suas inúmeras vantagens como planta terapêutica para fortalecer o sistema imunitário.

As frésias

As frésias, que se adiantam sempre, anunciando a primavera logo em fevereiro, uso em saladas, mas sobretudo em pequenos ramos espalhados pela casa. Que agradável é chegar a ao fim do dia e sentir que o jardim nos entrou em casa.

Borragem. (Foto: Thinkstock)

Plantas que melhoram a qualidade do solo

Cultivo também algumas belas desconhecidas muito interessantes para melhorar a qualidade e a estrutura dos solos, aumentando consideravelmente a quantidade de microrganismos. São elas a consolda e a borragem.

As borragens surgem, espontaneamente, por todo o lado, florindo em janeiro, fevereiro ou março; têm lindas flores azuis, são muito úteis para as abelhas. Esta flor comestível é muito apreciada pelo seu sabor a pepino; uso-a em cubos de gelo, mas as folhas tenras podem também ser cozinhadas em sopas, refogados ou omeletes. A consolda, tal com o a borragem, é também ela uma Borraginacea, de raízes profundas. É uma companheira interessante das outras plantas e muito útil na pilha do composto ou em chorume, pois possui uma relação carbono/azoto muito semelhante ao estrume de estábulo. As suas grandes folhas, muito ricas em minerais, desaparecem no inverno para logo ressurgirem vigorosas no início da primavera. Não a dispenso no meu quintal, até porque as abelhas também a adoram.

Aromas do jardim que invadem a horta

Gosto de flores com perfumes intensos ou delicados e por isso tenho sempre goivos de várias cores e uma sebe de jasmim e madressilvas, todos com utilidades terapêuticas e comestíveis. O goivo é uma Brassicacea tal como as couves, os rabanetes w a rúcula, e tem pequenas flores que são muito interessantes para as abelhas e saborosas no prato.

Siga a Jardins no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar