Passo a Passo

Aprenda a fazer uma casa para os caracóis

Caracol, caracol, põe os pauzinhos ao Sol! Quem nunca ouviu esta cantilena? Na verdade, é como se estivéssemos a pedir ao caracol para sair da sua concha e dar ares da sua graça. Contudo, os caracóis gostam mesmo é do ambiente húmido e escuro e nesta altura do ano, tão propícia à chuva e com os dias mais pequenos, pode ser apaixonante observar os caracóis no seu habitat.

E não seria tão bom poder guardar alguns numa pequena casinha para os observarmos durante mais tempo e de perto? Acompanhar o seu dia a dia, anotar a sua atividade e procurá-los no escuro, de lanterna na mão, pode ser muito divertido!

Este mês, proponho uma atividade que proporciona uma experiência única de construção de habitat, observação animal e ainda a possibilidade de um passeio à chuva, com muitas poças de água, lama, galochas e diversão incluída!

Vamos lá aproveitar os dias que se querem chuvosos para aprender enquanto se brinca!

Material necessário

  • 1 caixa de plástico transparente com tampa perfurada, 1 velho aquário pequeno OU 1 terrário de vidro (devendo-se, nas duas últimas opções, encontrar uma solução de tampa que permita que os caracóis respirem.)
  • Algumas pedras e folhas secas
  • Terra para plantas de vaso
  • Alguns alimentos: folhas de alface, tiras finas de cenouras, fruta madura, etc.
  • Folha de papel de cozinha humedecida e amarfanhada
  • Borrifador de água

5 BREVES CURIOSIDADES SOBRE O CARACOL PARA CONTAR AOS MAIS PEQUENOS:

1. O caracol não tem audição – é surdo!

2. Tem muita dificuldade em ver com os seus olhinhos situados nas antenas, só percebe manchas claras ou escuras e utiliza especialmente os sentidos do tato e do olfato que se situam em todo o seu corpo.

3. Gosta muito mais do tempo húmido e escuro porque assim é menos visível para os seus predadores (aves, ratos ou outros insetos). Com a humidade, o caracol consegue manter o seu corpo mais hidratado e até cria um muco (a baba do caracol) que permite que ele deslize mais facilmente.

4. Em algumas situações de perigo e dormência, o caracol recolhe-se para dentro da sua concha e fecha-a com o muco, conseguindo assim colar-se a troncos, folhas ou muros.

5. A concha também serve de escudo deste pequeno guerreiro, já que, por ser dura, é mais difícil para os predadores o comerem.

Passo-a-passo

1. Cobrir o fundo do recipiente com dois dedos de terra.

2. Depositar as pedrinhas e as folhas secas num lado.

3. Colocar o papel de cozinha húmido e amarfanhado no lado oposto.

4. Esperar que chova ou um dia mais húmido para apanhar os caracóis e anotar o local onde vivem para os devolver ao seu habitat no final da experiência. Transportá-los com cuidado num recipiente húmido com algum alimento.

5. Colocar os caracóis na nova casinha já preparada e borrifar com água para estimular a sua atividade.

Depois, deve alimentá-los todos os dias e vaporizá-los ligeiramente com água.

Esta sugestão de experiência deverá ser realizada num curto espaço de tempo, pois é necessário voltar a soltá-los, porque a sua liberdade é muito importante!

Gostou deste artigo? Então leia a nossa Revista, subscreva o canal da Jardins no Youtube, e siga-nos no Facebook, Instagram e Pinterest.


Poderá Também Gostar