Plantas

Magnólia: as suas flores anunciam a primavera

Algumas magnólias começam a florescer a partir deste mês e esse é um espectáculo que convém não perder. Como não se trata de uma planta muito exigente é fácil desfrutar das magnólias ano após ano.

Procedentes da China, Japão e Estados Unidos, existem cerca de 100 espécies de árvores e arbustos do género Magnólia que se adaptam sem problemas às regiões mais suaves e húmidas, como o litoral atlântico. Existem magnólias perenes e de folha caduca. As primeiras oferecem florações tardias com poucas unidades e as segundas enchem-se de flores precoces. Em comum têm a atracção da folhagem e a exuberância das flores em forma de copa.

As folhas são rijas e por vezes muito brilhantes e podem ser ovaladas ou elípticas, ter mais ou menos tamanho e diferentes tons de verde. As flores, grandes e solitárias, oferecem um delicado aroma em muitas variedades e as suas cores vão desde o branco, ao amarelo, rosa e púrpura. Surgem na Primavera, antes do aparecimento das folhas no caso das espécies caducifólias e em pleno Verão no caso das perenes. Entre as espécies mais comuns destacam-se a:

  • M. grandiflora, de árvores perenes de grande porte, copa piramidal ou oval e grandes e perfumadas flores brancas;
  • M. soulangeana,de arbustos ou árvores pequenas de folha caduca e floração primaveril e flores brancas;
  • M. stellata, que se enche de estrelas coloridas;
  • M. liliiflora, de arbustos caducifólios de floração estival, folhas ovais verde escuro e flores rosa púrpura.

Guia de Manutenção

LOCALIZAÇÃO –  SOL OU MEIA SOMBRA

Desde que protegidas do vento forte e das geadas, as localizações ao Sol favorecem a floração dos exemplares da espécie grandiflora e das caducifólias. Não suportam a sombra total e preferem zonas suaves como as do litoral atlântico, embora prosperem noutras se tiverem solo ácido, humidade e protecção contra o frio e o calor.

PLANTAÇÃO –  EM QUALQUER ALTURA

Dependendo da época do ano, encontra magnólias com torrão ou em vaso nos centros de jardinagem e pode plantar de qualquer destas formas. Tenha cuidado ao manipular as raízes porque são muito frágeis.

TERRENO –  FÉRTIL E BEM DRENADO

Gostam de solos ácidos ou neutros com abundante matéria orgânica, embora tolere os alcalinos desde que fundos e ricos em húmus. Também prefere solos frescos mas bem drenados. Se o terreno é seco e arenoso, deve fazer um bom adubo com estrume antes da plantação.

REGA – EM PERÍODOS DE SECA

Depois de plantadas, as magnólias necessitam regas abundantes embora sem encharcar, que devem ser reduzidas progressivamente até chegar o tempo mais quente. Para evitar secar o solo, pode colocar palha ou estrume.

MULTIPLICAÇÃO – ESTACAS E SEMENTES

Estacas semimaduras no verão ou sementes maduras no Outono, constituem os métodos mais frequentes de multiplicação, embora a segunda opção seja mais lenta.

OUTROS CUIDADOS – PODA E TRANSPLANTE

Pode conferir forma aos exemplares jovens podando na Primavera ou em meados do Verão e elimine os ramos murchos. Transplante de dois em dois anos.

Doenças e Curas

MANCHAS NAS FOLHAS: ELIMINE AS PARTES ESTRAGADAS

Se sobre a folhagem dos seus exemplares surgirem manchas com diversas formas e cor escura, é possível que estejam padecendo de uma doença fúngica que convém atacar o mais cedo para que não alastre. Solução: corte e queime as folhas infestadas para evitar o contágio ao resto da planta ou aos exemplares vizinhos. Trate o resto com fungicida à base de cobre e repita o tratamento tantas vezes quantas achar necessário.

BOLOR CINZENTO: EVITE A HUMIDADE

Este fungo surge nos rebentos mais novos que se enchem de manchas esbranquiçadas ou acinzentadas e
se vai estendendo por toda a planta que acaba por não se conseguir desenvolver. O excesso de humidade favorece este fungo. Solução: dote o terreno de um bom sistema de drenagem e areje-o periodicamente. Assim que detectar os primeiros sintomas, elimine as partes estragadas e aplique fungicida.

FOLHAGEM AMARELA: APLIQUE FERRO

A clorose férrica é frequente em terrenos argilosos e manifesta-se no amarelecimento das folhas. O exemplar afectado é incapaz de assimilar de forma correcta os nutrientes, o que ocasiona o desequilíbrio nutricional. Solução: evite os terrenos alcalinos e se não dispõe de melhor alternativa,
aplique no solo uma boa dose de matéria orgânica. Pode aplicar também um produto reverdescente.

FOLHAS DEFORMADAS: LIMPE COM SABÃO E ÁLCOOL

As cochonilhas chupam a seiva dos exemplares afectados, atrasando o crescimento e deformando a folhagem. Podem provocar o aparecimento do fungo negrilla, atraído pelo melaço. Solução: é fácil distinguir as cochonilhas pela forma larga das suas carapaças brancas ou castanhas. Unte as cochonilhas com um pincel ou algodão humedecido numa solução de sabão, álcool e água ou pulverize o exemplar com a mesma mistura ou um insecticida.

As folhas são rijas e por vezes muito brilhantes e podem ser ovaladas ou elípticas.

Gostou deste artigo? Siga-nos no Facebook, no Instagram e no Pinterest e subscreva o nosso canal no Youtube

Poderá Também Gostar