Hortícolas e Frutícolas

Como cultivar fisális

Apresentação

Nomes comuns: Physalis, fisális, alquenquenje, cereja-de-judeu, capota, lanterna chinesa, farol-do-peru, tomatinhos, tomate-de-capuz, capuchinhos e tomate-silvestre.

Nome científico: Physalis peruviana L, Physalis pruinosa, P. ixocarpa, P. philadelphica, a espécie Palkekengi (frutos vermelhos) também tem algum interesse a nível comercial, mas apenas para efeito ornamental.

Origem: Centro e Sul da América (México, Colômbia e Zona dos Andes)

Família: Solanácea

Factos Históricos/Curiosidades: O “tomatillo”, produto muito utilizado na culinária mexicana é um physalis que é cultivado e consumido desde o tempo dos astecas. A Colômbia é o principal produtor mundial e exporta muito para os países Europeus. Só em 2015 é que Portugal começou a produzir este fruto para  comercialização em maior escala.

Caraterísticas: Planta herbácea que em meio natural rasteja e pode alcançar 1,0-1,8 metros de comprimento. Tem folhas lanceoladas e flores amareladas com um sistema radicular superficial, mas extenso.

Fecundação/Polinização: Flores amarelas pálido, dura 10 semanas desde a floração á colheita. A polinização é entomófila.

Ciclo Biológico: Anual (zonas frias) ou vivaz (zonas de clima temperado, dura 3-4 anos).

Variedades mais cultivadas: As variedades mais cultivadas são “Giant Poha Berry” , “Golden Berry”, “Giallo Grosso”, “Goldenberry”, “Yellow Husk”, “Toma Verde”, “De Milpa”, “Purple”, “Tomate fraise”, “Golden Nugget”, “Purple Husk”, “Reendidore”, “Verde Puebla”, “Aunt Mollys”.

Parte Comestível: Frutos globulosos com diâmetro entre 2-3,5 cm e peso entre 6-14 g de cor amarelo-alaranjado ou laranja-avermelhado, com sabor aromático.

Condições Ambientais

Solo: Cresce bem em solos pobres, mas prefere solos bem drenados ricos em matéria orgânica e textura arenoargilosa com pH óptimo de 5.5-7.0.

Zona climática: Tropical, sub-tropical e temperadas.

Temperaturas: Óptimas: 14-25 oC Min: -3 oC Max: 35 oC Temperatura do solo (germinação): 25 oC

Exposição Solar: Semi-Sombra ou Sol direto

Humidade relativa: Óptima 75%

Precipitação: 1500 mm/ano

Altitude: até 2000 metros

Fertilização

Adubação: Composto e estrume de peru ou porco uma vez por ano. É uma rústica, não necessita grandes adubações.
Produz bem em solos pobres e não precisa de adubos azotados, pois leva ao desenvolvimento da folhagem e à pouca produção de frutos.

Adubo Verde: leguminosas de fruto (faveira, ervilheira e feijoeiro)

Exigências nutritivas: 1:1:1 (N:P:K)

Técnicas de Cultivo

Preparação do solo: Lavrar o solo superficialmente 10-15 cm) com uma ferramenta do tipo “actisol” ou uma fresa.

Data da sementeira/Plantação: Primavera (maio) à temperatura de 25 oC. Poderá ser feita em estufa no fim do inverno (março-abril) e transplantar na primavera para o exterior.

Tipo de Plantação/sementeira: Por semente, em tabuleiros de sementeira ou pequenos vasos (alta taxa de germinação 80-95%) Tempo de Germinação: 15-20 dias Profundidade: 0,6-1cm Compasso: 0,6-0,8 na linha x 1,5-1,8 cm entre as linhas.

Transplantação: Quando a planta tiver 15-20cm de altura ou 8-10 folhas.

Rotação: de 3 em 3 anos Consociações: evitar as Solanáceas (tomate, batata, pimento, beringela, etc.) e as leguminosas.

Plantas companheiras: Espargos, alfaces, cenouras, basilico, alho, salsa e cebola.

Amanhos: Montar uma estrutura com postes de 1-1,5 m, unidos por arames; podar a seguir à colheita até á altura de 20-30 cm. Eliminar os ramos que já frutificaram; colocar “mulching” ou uma tela plástica para combater as ervas infestantes.

Regas: Gota-a-gota Entomologia e patologia vegetal.

Pragas: Pulgões, nemátodos  e mosca branca.

Doenças: Botyritis, e algumas viroses (mosaico e murchidão).

Acidentes: Planta muito sensível a ventos fortes, excesso de humidade e geadas.

Colheita e Utilização

Quando colher: Desde o fim do verão até novembro quando chega o frio. O fruto só é colhido quando o “capucho” seca e cai e o fruto muda de cor.

Produção: Cada planta produz 2 a 4 Kg/ano e cerca de 300 frutos/ano/ planta ou 4-7 t/ha

Condições de armazenamento: 5-13ºC com humidade de 85-90%. Os frutos podem durar 3 semanas.

Valor nutricional: Excelente fonte de vitamina A e C e vitamina PP, carotenoides, ferro e fósforo.

Época de Consumo: Verão-outono.

Usos: Consumida ao natural, em pratos de peixe e crustáceos, compotas, doces, licores, geleias, gelados, bombons, saladas de fruta ou em molhos para saladas e carnes.

Propriedades medicinais: Diuréticas, antioxidante e diminuição da pressão arterial.

Conselho de especialista: Esta planta pode alastrarse ou multiplicar-se noutras zonas, já que os pássaros gostam das bagas e transporta-as para outros locais. No nosso clima adapta-se mais as zonas do sul e centro do país, pois não gosta de temperaturas baixas. É uma planta que se desenvolve em terrenos pobres e tem algum interesse ornamental. Os frutos verdes e as folhas são tóxicas.

Fotos: Pixabay, Pedro Rau

Siga a Jardins no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar