Pragas e Doenças

Controlo biológico de pragas e doenças: formigas

 

  • Praga:

Formiga Negra (Tapinoma nigerrimum Nyl), da Argentina ou ladra (Iridomyrmex humilis), Formiga do Sol (Tetramorium caespitum) ou Camponotus vagus.

  • Características:

Formigas de cor negra ou castanho escuro, de 2,5-12,6 mm de comprimento. Vivem em colónias com uma ou mais rainhas com a missão de reprodução. As outras fêmeas sem asas e assexuadas são obreiras e solados.

  • Ciclo biológico:

Nidificam em zonas com alguma humidade, nos solos não muito compactos, em troncos velhos, cavidades dos muros, debaixo de plantas, folhas e pedras, formando colónias com numerosos indivíduos. É no Verão e Primavera que se dá a enxameação – os machos e fêmeas saem do formigueiro e sobem para as árvores, arbustos e lançam-se para o ar voando.

O voo é curto, iniciando-se a fecundação, perdendo as fêmeas as asas; são então obrigadas a procurar um abrigo onde constroem pequenas câmaras pondo cerca de 30 ovos (ex I humilis) As suas glândulas, produzem químicos especiais que ajudam a digerir o alimento e durante as estações mais favoráveis, podem procurar alimento a grandes distâncias.

  • Plantas mais sensíveis:

Citrinos (atacados por afídeos) e melões, entre muitas outras plantas.

  • Danos:

Na Primavera, quando sobem às árvores, podem tornar-se fitófaga. Geralmente procuram a melada das cochonilhas e afídeos, afastando os auxiliares e protegendo as pragas que lhe dão o seu alimento. Por vezes, chegam a levar as pragas para as plantas saudáveis.

As formigas também podem comer sementes, cortar folhas (para fazer colónias de fungos para a sua alimentação), insectos úteis e comida em nossas casas. Algumas formigas alojam-se nos troncos e fazem ali as suas colónias. Fazem galerias e enfraquecem mais as árvores, que na sua grande maioria já são velhas e fracas. Existem formigas que fazem buracos em alguns frutos como o melão e outras entram nas colmeias para se alimentarem do mel.

No campo, por vezes, os formigueiros podem isolar as raízes do terreno e “descalçam” as plantas, podendo provocar a sua morte.

  • Combate biológico:

Prevenção/aspectos agronómicos – Destruição dos ninhos; Abrigos “americanos” constroemse caixas e enchem-se com palha cortada, estrume, folhas secas húmidas e cobre-se o abrigo com pedras, paus e telhas velhas; Colocação de cintas viscosas no tronco das árvores que impedem a subida das formigas; Rega por aspersão.

Luta química biológica – Pulverizações com Píretro; armadilhas com isco venenoso; xaropes atrativos (mel e açúcar), para depois descobrir o formigueiro e destrui-lo.

Luta biológica – Deixar as galinhas a passear nos terrenos com muitas formigas.

Gostou deste artigo? Siga-nos no Facebook, no Instagram e no Pinterest e subscreva o nosso canal no Youtube.

Poderá Também Gostar