Plantas

Uma planta, uma história: Coralina da Abissínia

Características

  • Nome científico: Erythrina abyssinica.
  • Nome vulgar: Coralina da Abissínia.
  • Porte: Árvore.
  • Família: Leguminosae (Fabaceae).
  • Origem: África Oriental – Etiópia (antiga Abissínia), Quénia, Uganda, Moçambique.
  • Morada: Parque de Santa Catarina – Funchal.

Erythrina é uma palavra de origem grega que significa vermelho. Uma clara alusão à cor das flores das árvores que integram este género botânico, pertencente à família das Leguminosas. As folhas são normalmente compostas por três folíolos, variando a forma e o tamanho de espécie para espécie.

Umas são indígenas da África do Sul e Tropical. Outras são naturais das Antilhas e da América do Sul. Umas e outras estão muito bem representadas nos jardins e parques da vertente Sul da Madeira, até aproximadamente 300 metros de altitude.

A Erythrina abyssinica (Coralina da Abissínia) é uma pequena árvore nativa da África Oriental. Na Natureza, chega a atingir 12 metros de altura, o que não acontece quando cultivada, ficando-se pelos sete ou oito metros nos jardins. O tronco e os ramos têm um ritidoma parecido com a cortiça e com espinhos, uma adaptação ao habitat que lhe permite resistir aos fogos e aos predadores.

Propagação

Já com folhas novas, produz as vagens, que, no fim do verão, libertam as sementes. Propaga-se por semente ou por estaca.

Utilização

A madeira é esbranquiçada, leve e macia, sendo usada no fabrico de tambores e pequenas embarcações de pesca. As sementes servem para fazer colares. Na Madeira, esta árvore caducifólia é cultivada exclusivamente com fins ornamentais. Perde as folhas em janeiro e recupera-as em maio. No período em que está despida de folhas, cobre-se de vistosas flores vermelhas dispostas em corimbos terminais.

Fotografia: Raimundo Quintal

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar