Aromáticas e Medicinais

Sabugueiro, uma planta ornamental e medicinal

Sabugueiro em flor

Este mês continuamos a evidenciar as muitas potencialidades das espécies silvestres portuguesas dedicando-nos ao sabugueiro. Apesar de ter um porte significativo, que pode alcançar facilmente os cinco metros de altura, o sabugueiro (Sambucus nigra) é na realidade uma espécie arbustiva, nascendo ramos novos, de forma natural, a partir da sua base. Todavia, pelo corte destes e pelas podas dos ramos superiores, não é difícil formar um tronco principal que, com os anos, lhe proporcionará um porte arbóreo.

Propriedades medicinais

Frequente em todo o território nacional, mas de forma mais generalizada no Centro-Norte de Portugal, o sabugueiro é igualmente uma espécie disseminada por toda a Europa, sendo-lhe atribuídos inúmeras qualidades, nomeadamente medicinais, ao ponto de ser considerada por diversos povos como o “armário dos remédios”. Nele, desde a casca às folhas, passando pelas flores e pelos frutos, tudo pode ter uso. Tem propriedades antioxidantes e pode ser utilizado com sucesso na cura de gripes e constipações, apenas para referenciar alguns exemplos dos muitos que possui. Nesta vertente em particular, sugerimos aliás a leitura dos artigos escritos pela Fernanda Botelho, que há já vários anos se dedica a divulgar entre nós as suas propriedades medicinais.

Flor de sabugueiro

Condições de cultivo

É uma espécie de origem ripícola, isto é, habituada a margens de linhas de água, pelo que tem uma clara preferência por solos húmidos, com alguma profundidade e sem demasiada exposição solar. Adapta-se e sobrevive em condições diferentes, mas, se o queremos ver desenvolver-se de forma robusta e saudável, não deveremos fugir muito a isso.

Usos culinários

Além das óbvias qualidades ornamentais da sua folhagem, destacamos a abundância da sua floração, constituída por enormes “umbelas” de flores perfumadas nos inícios de cada primavera e que, além do mais, são comestíveis e entram na composição de deliciosos xaropes.

As suas bagas, que no nosso país amadurecem a partir de meados de julho, destacam-se igualmente por serem comestíveis – podem ser utilizadas na culinária, por exemplo, em tartes, juntas com outros frutos vermelhos.

De igual forma, o seu sumo, entre nós pouco conhecido, é muito apreciado em países como a Alemanha ou a Dinamarca e está na base aliás de uma importante atividade exportadora em algumas regiões do Douro-Sul.

De notar todavia os cuidados a ter na ingestão do sumo extraído das bagas, o qual não pode ser ingerido diretamente, devendo ser previamente fervido para eliminação das toxinas, e diluído em água.

Bagas de sabugueiro

Biodiversidade no jardim

Por fim e não menos importante, referimos a sua mais-valia ecológica no jardim. O néctar das suas flores faz as delícias dos insetos polinizadores, das abelhas em particular, e as suas bagas são uma importante fonte de alimento para os pássaros entre os quais os melros.

Nota

A germinação das suas sementes não apresenta dificuldades de maior e o seu crescimento, existindo disponibilidade de água, é rápido e vigoroso! Na loja online das sementes de Portugal, pode encontrar sementes de sabugueiro bem como de outras espécies emblemáticas da nossa flora autóctone com potencial ornamental e paisagístico.

Fotos: Thinkstock

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar