Manutenção Geral

Cuidados de primavera e verão para o seu relvado

Na primavera, os nossos jardins tornam-se verdadeiros oásis, com flores abundantes onde os pássaros e as abelhas procuram abrigo, água e alimento. Com o início da primavera e a chegada do verão, as necessidades hídricas vão variando, consoante o aumento de temperatura as espécies de relvas, e a redução da chuva.

Tipos de relvados

Para sabermos como tratar o nosso relvado, é necessário distinguir dois grandes grupos de relvados, os de clima frio e os de clima quente.

  • Relvados de clima frio – Festucas; Poas; Lólios: que se encontram no mercado em rolos de tapetes ou em sementes.
  • Relvados de clima quente – Bermudas; Kikuios ; Gramas. Encontram-se no mercado em rolos de tapetes, estolhos — ou, algumas espécies, em sementes.

Escarificação manual

Cuidados na primavera e no verão

Os relvados de clima frio, no início da primavera, têm um desenvolvimento radicular e foliar mais elevado: é aqui que devemos escarificar e furar (se necessário), eliminar infestante, ressemear, fertilizar ou semear campos novos. Já os relvados de clima quente — apresentam o seu maior desenvolvimento, quer de raízes quer de folhas, no verão e é aqui que devemos fazer as operações mecânicas de arejamento e limpeza, escarificação, furação e descompactação de solo, bem como fertilizar e eliminar infestantes. É também nesta época que devem ser feitos os relvados novos.

Colocação de tapete de relva

Cuidados a ter quando semear ou colocar tapetes de relva

Quando semeamos ou colocamos tapete, temos de fazer várias regas por dia, durante o período diurno, para manter o solo húmido, uma vez que o desenvolvimento radicular está a começar e as plantas não têm capacidade de ir buscar água muito fundo. Não esquecer que, uma vez por semana, devemos aplicar água com mais abundância para que haja sempre humidade no solo e seja mais fácil compensar a água perdida por evaporação, lixiviação ou captada pelas plantas.

Rega

Em manutenção, as regas devem ser feitas em profundidade e de modo que a água aplicada passe sempre a profundidade das raízes. As regas, sempre que possível, devem ser diurnas, de preferência no fim da madrugada, início da manhã, evitando-se o aparecimento de doenças e mantendo a planta hidratada.

Fotos: Thinkstock

Gostou deste artigo? Siga a Jardins no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar