Jardim

Pessegueiro: cultivo, doenças e colheita

Pessegueiro.

Nomes comuns: Pessegueiro

Nome científico: Prunus persica

Origem: China

Família: Rosáceas

Factos históricos/curiosidades: Apesar do seu nome científico P. Persica, o pessegueiro é originário da China e não da Pérsia. Na China já se mencionava esta variedade em poemas do século X a.C.

No entanto, já era cultivada no Médio Oriente (Irão), no ano 100 a.C., sendo muito mais tarde introduzida na Europa, em Roma, pelo Imperador Claudius.

Como curiosidade, o Pessegueiro foi introduzido no Brasil por Martim Afonso de Sousa, em 1532, e as árvores vieram da ilha da Madeira. A China e a Itália são actualmente os maiores produtores mundiais de pêssego.

Descrição: Pequena árvore de folha caduca, que pode atingir 4-6 m de altura e 3-6 m de diâmetro, tem as folhas compridas, estreitas e de coloração verdeclara.

Polinização/fecundação: As flores têm a coloração rosada ou roxa e aparecem no princípio da Primavera.

A maioria das variedades são auto-férteis, não necessitando de outras cultivares para ter produção. A polinização pode ser feita pelos insectos (abelhas) ou pelo vento.

Ciclo Biológico: Tem uma vida produtiva de 15-20 anos, com entrada em produção aos 3 anos e atinge a plena produção aos 6-12 anos. O Pessegueiro pode viver mais de 25-30 anos.

Variedades mais cultivadas: “Duke of York”, “Hale’s Early”, “Peregrine”, “Redhaven”, “Dixired”, “Suncrest”, “Queencrest”, “Alexandra”, “Rochester”, “Royal George””Royal Gold”, “Springerest”, “M. Gemfre”, “Robin”, “Bllegarde”, “Dymond”, “Alba”, “Rubra”, “Sprincrest”, “Sprinlady”, “M. Lisbeth”, “Flavocrest”, “RedWing”, “Red Top”, ”Sunhigh”, “Sundance”, “Champion”, “Suber”, “Jewel”, “sawabe” e “ Cardinal”.

Parte Comestível: O fruto, de forma esférica ou oval de cor amareloavermelhado ou esverdeada e amarelada, que pode ter a polpa amarela ou branca.

Condições Ambientais

Tipo de Clima: Zona temperada de clima Mediterrânico quente.

Solo: Textura franco-limoso ou Sílico-argilosos, profundos e bem drenados, arejados e férteis com muita matéria orgânica e profundidade maior que 50cm. O pH deve ser de 6,5-7,0.

Temperaturas: Ótimas: 10-22 ºC Min: -20 ºC Max: 40 ºC
Paragem do Desenvolvimento: 4ºC
Precisa de 150-600 de horas de frio (abaixo dos 7 ºC).

Exposição Solar: Pleno sol.

Quantidade de água: 7-8 litros/semana/ m2 ou 25-50 mm de água de 10 em 10 dias, assim que começa o crescimento do fruto no Verão ou em períodos de seca.

Humidade atmosférica: Média

Fertilização

Adubação: Estrume de ovelha e vaca, farinha de ossos e composto. Regar com chorume de vaca bem diluído.

Adubo Verde: Azevém anual, ervilha forrageira, rabano, favarola, luzerna e mostardeira.

Exigências nutritivas: 2:1:3 (N:P:K).

pessegueiro
Pessegueiro em flor.

Técnicas de cultivo

Preparação do solo: Deve-se utilizar uma subsoladora, para romper o solo e permitir a infiltração de água e o seu arejamento, não revirando as camadas.

Multiplicação: Por estacaria (enxerto de gema) e cultura em “vitro”.

Data de plantação: No principio do inverno até ao principio da primavera.

Compasso: 4 x 5 m ou 6 x6.

Amanhos: Poda no fim do Inverno em forma de vaso ou eixo central; Colocar uma camada de 2,5 cm de “mulching”(palha ou outra erva seca); monda de frutos

Consociações: Podemos plantar algumas culturas horrtícolas entre as linhas do pomar, como: ervilhas, feijão, melão, alface, nabo, tomate, colola, alho e batata-doce, todas até aos 4 anos de vida da árvore, a partir desta data só adubo verde.

Regas: Só em verões secos, por gota-a-gota e intensificar desde a formação do crescimento do fruto.

Entomologia e patologia vegetal

Pragas: mosca da fruta, afídeos, cochonilha, pássaros e ácaros.

Doenças: Crivado, Moniliose, Oídio e lepra, cancro bacteriano, vírus do mosaico amarelo.

Acidentes/carências: Não suporta geadas tardias e ventos fortes. Sensível a carências de Fe e é pouco tolerante ao encharcamento.

Colheita e Utilização

Quando colher: Desde em julho-agosto (final da primavera – principio do verão), quando a cor (tons mais avermelhados), a firmeza (mais mole) da polpa e o perfume (cheiro mais intenso) se alteram.

Produção:  20-50 Kg/ árvore ou 30-40 t/ha entre os 4-7 anos.

Condições de armazenamento: 0,6ºC a 0ºC, H.R. de 90% durante 2-5 semanas.

Valor nutricional: É das frutas mais ricas em vitamina A, sendo rica em vitamina C, B e A, tendo bons níveis de Ferro, Potássio, fósforo e magnésio.

Usos: Na culinária é utilizado em tartes, doces, conservas, licores sumos é comido como fruto fresco. A nível, medicinal, as flores e as folhas tem propriedades calmantes.

E o fruto atua como energético, diurético, laxante e depurativo.

Foto: Forest and Kim Starr via Flickr

Fonte

Gostou deste artigo?
Então leia a nossa Revista, subscreva o canal da Jardins no Youtube, e siga-nos no Facebook, Instagram e Pinterest.


Poderá Também Gostar