Plantas Ornamentais

Poda e aramação do bonsai

A poda de um bonsai não é tarefa fácil. Deve ter em conta o que cortar e quando cortar

Neste artigo vai poder ficar a conhecer duas das mais importantes técnicas da arte bonsai. A poda, a par da aramação, constitui-se como a técnica de estilização dos nossos exemplares.

Podemos entender que existe um conjunto de quatro tipos de podas principais que se aplicam consoante o estádio de desenvolvimento da árvore e da sua espécie:

  • Poda de manutenção;
  • Poda de arejamento;
  • Desfoliação;
  • Poda de troncos e ramos grossos.

A poda de manutenção é necessária para uma clara estrutura da nossa árvore

Poda de manutenção

O Após a formação de um bonsai, como arte viva que é, este continua a crescer. Concretamente, este tipo de poda está associado à manutenção da forma do bonsai para que continue saudável e seja feita uma renovação da folhagem (no caso das árvores de folha perene e algumas coníferas) e para que continue a existir uma boa apresentação estética, após a nova renovação (no caso das caducas). Esta poda promove, sobretudo, o controlo no crescimento da nossa árvore.

Ferramentas específicas para a poda
  • Alicate de corte côncavo;
  • Alicate de corte angular;
  • Tesoura de poda fina;
  • Tesoura de poda foliar;
  • Pasta cicatrizante.

Tendo em conta as diferentes espécies, efetua-se durante a época de crescimento intensivo, de uma maneira geral, a todas as folhosas e coníferas. Contudo, em algumas espécies este tipo de poda deve ser realizado após a floração, no caso das árvores de flor/fruto, ou ainda quando estas não apresentam folhas (no caso das caducas). Importante ainda dizer que podar uma conífera é diferente de podar uma folhosa.

Quando nos iniciamos no bonsai a escolha recai grande parte das vezes nas árvores de folha perene ou caduca. Este tipo de poda serve para manter a forma, e devemos realizá-la sempre que o bonsai cresce excessivamente e começa a perder a forma de “bonsai”.

Pode o seu bonsai sempre que necessário. Não tenha receio!

Poda de renovação

Após várias épocas de crescimento, a poda de manutenção deixa de fazer efeito e terá que se efetuar uma poda maior com o intuito de eliminar os rebentos adventícios vindos do interior dos ramos, ramos que se cruzam, etc.

Este tipo de poda consiste em proceder a uma remodelação da estrutura dos ramos de modo a promover o bom desenvolvimento de todos estes e permitir a entrada de luz solar nos ramos mais internos da árvore.

Este tipo de poda deve ser efetuado, regra geral, após a queda das folhas nas espécies caducas, no outono, e após a paragem do crescimento nas espécies de folha perene.

A vermelho o local onde se devem cortar as folhas aquando do processo de desfoliação

Desfoliação

Este tipo de poda é apenas realizado quando temos o bonsai já formado, em que o principal objetivo é a diminuição do tamanho das folhas e o aumento da densidade das folhas, devendo apenas ser efetuada em bonsai com um bom sistema radicular e que se encontrem em ótimas condições e bem adubados (durante a desfoliação a adubação deverá ser interrompida).

Pode-se efetuar uma poda foliar total (eliminando todas as folhas) ou uma poda foliar parcial (eliminando as folhas das partes mais dominantes e deixando as folhas nas partes mais fracas, causando uma redistribuição da energia).

A poda foliar, total ou parcial, deve ser efetuada no final da primavera, ou a meio do verão, tendo em conta cada espécie em particular.

A desfoliação nunca pode ser efetuada numa conífera, existindo outras técnicas para o mesmo efeito, como a pinçagem (processo similar à desfoliação para as coníferas que consiste na eliminação das pontas mais vigorosas).

Poda de troncos e ramos grossos

Este tipo de poda, mais utilizado em material pré-bonsai, tem como função eliminar os ramos ou troncos que não fazem parte do design do futuro bonsai (poderá ser utilizado em bonsai quando se pretende remover um ramo, por qualquer motivo). O melhor período para se efetuar este tipo de poda é o início da primavera ou outono (nas coníferas) e o inverno ou outono (nas folhosas – caducas e perenes).

Que ramos devo eliminar quando realizo uma poda?
  • Ramos cruzados.
  • Ramos com crescimento invertido (mais fino na base que no ponto terminal).
  • Ramos paralelos.
  • Ramos que cruzam o tronco.
  • Ramos totalmente verticais.

Bonsai após aramação e pormenor de ramo trabalhado

Aramação

A par da poda, como já referimos, a aramação constitui o principal processo de modelação de um bonsai. A aramação, compreendida como o processo de utilização de arames de cobre/alumínio para dar forma a uma planta, é uma técnica que permite uma rápida estilização e maioritariamente necessária para a formação do bonsai. A aplicação do arame, não é em si uma arte, mas sim uma habilidade, que só através da prática poderá ser desenvolvida e adquirida.

Material básico para a aplicação do arame
  • Alicate de arame
  • Alicate de jin (para acabamentos)
  • Tesoura de arame
  • Ráfia
  • Mínimo – 3 tipos de arame de diferentes espessuras (1 mm; 2 mm; 4 mm)
Regras da aramação
  • Aplique o arame num ângulo de 45º.
  • Ancore o arame sempre que necessário.
  • Determine o enrolamento do arame baseado no sentido do movimento em que queremos deslocar o ramo, ou o tronco.
  • Planeie a colocação do arame para evitar cruzamentos e outros erros associados e ao mesmo tempo assegurar que a sua localização estará assente sobre os pontos de pressão.
  • A primeira dobra de um arame sobre um ramo deve ser colocada em função da direção em que se irá mover o mesmo (arame em cima – ramo para baixo; arame em baixo – ramo para cima).
  • Na colocação do arame, deve efetuar o suporte com a mão (polegar) não-dominante e manipulação com a dominante.
  • A utilização de um alicate de pontas, permite fazer os acabamentos (pontas soltas) e retificar o posicionamento de alguns arames (ex.: aramação múltipla).
  • Deve iniciar a aramação pelos ramos mais grossos e prosseguindo até aos ramos mais finos, nunca o contrário.
  • Em árvores com casca delicada, será prudente a aplicação de ráfia sobre a zona de aplicação, ou um outro tipo de material não agressivo.
  • Imediatamente após a aplicação do arame, regra geral, é importante proteger a planta sob um local onde não incida sol direto, nem esteja sujeita a demasiado vento (introdução faseada 15 em 15 dias).

Display de Mario Komsta. Só com uma correta poda e aramação, a par de ótimos cuidados de manutenção, podemos chegar a este esplendor de beleza.

 

Princípios e orientação de aplicação do arame

A correta aplicação de arame apenas irá fornecer a estrutura básica da forma pretendida para a planta.

A decisão da forma a dar à planta deverá ser ponderada segundo os constrangimentos da espécie, do ramo (ou tronco) e do design escolhido.

A aplicação de arame compreende um período de permanência sobre a planta (habitualmente de 6 meses a 1 ano, em coníferas; e de 3 a 6 meses, em folhosas), durante o qual deve haver observação vigilante, de modo a evitar deformações profundas sobre os ramos ou tronco.

Utilize um arame suficientemente forte, mas com o menor diâmetro possível.

Fotos: Thinkstock

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar