Hortícolas e Frutícolas

Plantas companhia: saiba o que são

Para uma gestão equilibrada da horta, escolha as plantas ideais para fazerem companhia às suas hortícolas.

A proteção das plantas contra pragas e doenças numa horta biológica deve considerar o importantíssimo papel da biodiversidade. Algumas técnicas antigas e tradicionais, como as plantas companhia, têm resultados que antigamente eram mal fundamentados, mas cuja eficácia é hoje confirmada pela ciência. As plantas companhia podem atuar ao afetarem negativamente os inimigos das plantas, por atraírem inimigos naturais das pragas, ou por repelirem as pragas.

A utilização de plantas companhia permite obter melhores resultados na horta ao mesmo tempo que a torna esteticamente mais agradável. De uma forma simples e resumida trata-se de criar uma horta com diversas fontes de alimento, capaz de suportar o maior número de seres vivos num espaço limitado, e sempre com vista na produção de bons alimentos.

Hortícolas que se ajudam entre si

Por vezes até plantas que usamos na horta em si poderão ser bastante úteis como planta companhia de outras culturas. Como as couves, que costumam ser das primeiras plantas a ter flor, ainda em pleno Inverno, permitindo atrair insetos hibernantes na vizinhança da horta. Aquilo que se observa é que são os óleos essenciais destas plantas que têm este efeito. Alguns podem ter efeitos inseticidas e fungicidas, sendo utilizados em agricultura biológica, como os extratos de alho, citrinos, canela, etc.

Para que tenham este efeito, os óleos são extraídos e concentrados, sendo que a planta não apresenta estes compostos de forma tão exposta nem tão concentrada. Onde se verifica alguma eficácia é na plantação de alho (ou cebola) perto de morangueiros. Os morangueiros podem ser afetados por tripes mas aparentemente o alho atrai os tripes (algumas espécies) mais que o tomateiro, funcionando como uma cultura armadilha.

 

Plantas para o interior da horta:

 

OS CRAVOS-TÚNICOS (Tagetes spp)

Produzem compostos alelopáticos que têm propriedades nematodicidas. Estas plantas produzem flores bonitas e geralmente mantêm um porte pequeno. Estas características possibilitam a sua utilização como plantas companhia de solanáceas e cucurbitáceas, dado que estas plantas costumam ser afetadas por nematodes das galhas radiculares (Meloidogyne spp. )

O ALISSO (Lobularia maritima)

É uma pequena planta herbácea anual e espontânea em zonas costeiras. Existem variedades selecionadas pela quantidade de flor produzida que geralmente apresenta cor de branco a roxo. Esta planta produz muitas flores, ao ponto de não serem visíveis as folhas. Estas flores são riquíssimas em néctar e pólen, o que as torna muitíssimo atraentes para alguns insetos auxiliares.

Além disto, a floração das variedades ornamentais estende-se até que as temperaturas o permitam, o que em Portugal significa que dura até quase ao inverno. O alisso deverá ser plantado perto de curgete ou melões para atrair predadores de afídeos até às plantas.

A HORTELÃ (Mentha spp.)

Tem uma flor muito atrativa para insetos auxiliares e polinizadores. A espécie Mentha suaveolens, muito frequente em baldios, produz muita flor no verão e atrai grandes quantidades de insetos. A hortelã tem um grande potencial invasor pelo que, na horta, deverá estar contida em vasos ou outros modos que limitem a sua expansão descontrolada.

OS COENTROS (Coriandrum sativum)

Normalmente, só se aproveita a folha, mas têm uma flor bastante benéfica para muitos auxiliares. Para que possam atrair estes insetos, é necessário que se deixe a planta ganhar flor, não a cortando. Isto poderá limitar o tempo de colheita de folhas, mas permite colher sementes, que são também um excelente tempero na comida.

 

Funcho

 

Plantas para a bordadura da horta:

O TRIGO SARRACENO (Fagopyrum esculentum)

É conhecido principalmente como alimento dietético para pessoas, mas a planta em si tem muitas propriedades interessantes. Esta planta é frequentemente semeada em pomares e campos agrícolas para atrair insetos auxiliares. As suas pequenas flores atraem grande número de auxiliares pelo que são também uma boa hipótese de consociação na horta. Esta planta tem algum porte, devendo ser colocada nas bordaduras da horta para não competir por luz.

O FUNCHO (Foeniculum vulgare)

Aparece muito frequente em terrenos rurais em Portugal, tem uma flor branca muito atrativa para joaninhas e crisopas. Durante a floração, é frequente ver ovos de crisopa nos caules e flores desta planta. É uma planta que poderá ter algum porte e, como tal, deverá ser reservada para a bordadura da horta. Tem a vantagem de se comerem as folhas e o bolbo.

O GIRASSOL (Helianthus annuus)

É uma excelente opção para atrair várias espécies de auxiliares. Quando está em floração, atrai grandes quantidades de Orius spp., que são percevejos pequenos e predadores que se alimentam de várias pragas das plantas. Os adultos de Orius procuram plantas cujas flores são ricas em pólen e são atraídos por flores amarelas como o girassol. Nas flores, estes insetos reproduzem-se e daí saem para a horta para se alimentarem de pequenos insetos. Além de predadores as flores do girassol atraem insetos polinizadores e aves. As aves procuram as sementes, mas muitas vezes têm um papel misto porque se alimentam também de pragas como lagartas.

AS SARDINHEIRAS (Pelargonium spp.)

Podem também ser plantadas nas bordaduras da horta onde as suas flores vão alegrar o ambiente. Estas plantas atraem mirídeos (percevejos predadores) que são particularmente importantes para o tomateiro e a beringela, nos quais se alimentam de pragas como as moscas-brancas e os afídeos. Para o mesmo fim, pode usar-se a planta do tabaco, que também produz uma flor bonita e sobre a qual se conseguem grandes quantidades de mirídeos.

 

Tenha em atenção:

• A utilização de plantas companhia está muito dependente da observação daquilo que acontece no campo, na horta. Aqui, tal como em tantos outros assuntos relativos à horticultura, não existem fórmulas ou receitas.

• Aquilo que funciona em determinado local pode não funcionar noutro.

• A maior parte destes conselhos são apenas indicações ou sugestões que já se verificou funcionarem.

• Para se obterem os melhores resultados possíveis, é importante criar alguma área de plantas em floração. Áreas pequenas têm um efeito atrativo muito forte e os auxiliares poderão não ser capazes de as identificar à distância.

• Repetir estas práticas anualmente será certamente uma garantia de sucesso uma vez que se irá garantir uma população de auxiliares residente.

Dica:

A bordadura da horta poderá incluir ainda pequenos arbustos como a lantana (Lantana camara) que pode servir como planta reservatório de inimigos naturais de ácaros como o aranhiço-vermelho (Tetranychus sp.). Durante a primavera, a lantana é infestada por ácaros que nunca chegam a ter uma importância significativa para esta. Esta infestação atrai predadores como ácaros fitoseídeos e joaninhas do género.

Fotos: Thinkstock

Gostou deste artigo? Subscreva o nosso canal no Youtube e siga-nos no Facebook, no Instagram e no Pinterest

Poderá Também Gostar