Manutenção Geral

Jardins, cães e gatos – incompatíveis?

Cães e gatos – amigos ou inimigos dos jardins?

Será que os jardins, cães e gatos são mesmo incompatíveis ?

O jardim maravilhoso que todos desejamos, bem como o desfrutar dos aromas, a explosão visual de cores, as texturas das folhas e troncos, o prazer e harmonia que proporcionam, é uma realidade que requer cuidados e planeamento na construção e manutenção.

Podemos desfrutar do nosso jardim, sozinhos ou acompanhados por familiares ou amigos, mas quando os amigos que escolhemos têm quatro patas surge um alerta! Risco de danos! Quem não se deparou já com covas no relvado, manchas de urina, dejetos nos caminhos e alpendres… dos nossos animais e dos animais vadios (ou dos vizinhos) que percorrem os nossos jardins durante a noite, sobre os quais não temos qualquer controlo?

Para compatibilizar o jardim com os cães e os gatos, devemos pensar o jardim para quem o utiliza, os seus hábitos e as suas necessidades e assim delinear algumas estratégias de construção e/ou de manutenção. Sim, estes nossos companheiros de brincadeiras poderão fazer estragos podendo mesmo comprometer a harmonia geral do jardim. O que fazer para controlar as suas ações?

Algumas sugestões

Proteja: Crie pequenas sebes ou vedações, que protejam as plantas mais nobres, para que o acesso aos animais seja impedido. Pode também optar por colocar vasos ou floreiras que façam barreira aos animais e que, pelo seu formato, também dificultem o acesso às plantas neles contidos.

Sombra: Escolha um local onde os animais se possam abrigar do calor excessivo dos dias quentes. Por vezes os buracos escavados nos jardins são feitos para que os animais sintam a frescura do solo.

Água: Os animais devem ter sempre água disponível, de preferência junto à zona de sombra.

Lavar urina: Quando se vê os animais a urinar no relvado devemos lavar de imediato para que a urina não queime o relvado e as manchas amarelas não surjam.

Casa de banho: Devemos escolher uma zona que os cães possam usar unicamente para este fim. Esta área pode ser em terra virgem (se o nosso cão gosta de escavar e tapar), com pedrinhas, com tapete sintético ou ripas de madeira, por exemplo, e ensinar os animais a usar esta zona. Para que os animais escolham estas zonas podemos por exemplo colocar um pouco de detergente amoniacal. O amoníaco é um dos componentes do detergente amoniacal e da urina, tem um odor ativo que os animais reconhecem. Quando sentem o odor do amoníaco identificam como invasor da sua zona, o que os leva a urinar sobre este para marcar território. É conveniente guiar os animais até este local, para que aprendam e elejam rapidamente o seu WC. Se o jardim for muito grande, criar várias zonas para esta função.

Erva-gateira.

Alpendres e caminhos limpos de dejetos: Muito simples, não usar detergente amoniacal! Limpar e desinfectar estas zonas com produtos à base de lixívia.

Os gatos

Vizinhos noturnos de quatro patas: Os gatos, felinos, caçadores nocturnos, estão ativos no período da noite e por vezes a invasão é tal que parece que todos os gatos elegem o nosso jardim como estância de férias! Este fenómeno deve-se aos elementos atrativos do jardim em que a presença da planta vulgarmente conhecida como erva-gateira ou Catnip (nepeta cataria) desempenha um papel marcante. Quem tem gatos preguiçosos, inactivos ou gordos é recomendado que façam exercício físico. Uma das formas de os estimular ao exercício é expô-los à presença desta planta – nepeta cataria – pois liberta substâncias que agrada aos felinos e os excitam.

O aroma libertado é de grande agrado e proporciona alegria e bem-estar, acalmando gatos stressados. Assim, quando adquirimos esta planta é recomendável que esta esteja em vaso para que a possamos movimentar e colocar na zona que nos é mais conveniente, recolhendo à noite para que os gatos vadios não invadam o nosso jardim e que, para além dos estragos que possam fazer, os dejetos desagradáveis não sejam encontrados no dia seguinte!

Fotos: Thinkstock, Pixabay

Poderá Também Gostar