Plantas

25 arbustos para todas as zonas do jardim

Existem muitas espécies de arbustos. Algumas desenvolvem poucos ramos principais e outros formam espessuras praticamente impenetráveis. Também existem arbustos esbeltos e compactos, estreitos ou largos. Selecionámos 25 espécies que classificámos por tamanhos e utilizações.

Nas margens, em primeiro plano

Os arbustos baixos, com altura até 1,5 m, resistem melhor ao vento e às intempéries ao aproveitarem, por proximidade, o calor do solo. Por isso, são os mais aptos para ocupar as primeiras posições nos grupos de plantas.

Rododendro

1- Rododendro: Junto de árvores

Um dos rododendros mais pequenos, o Rhododendron yakushimanum, é também um dos mais bonitos devido aos botões florais rosa que abrem em branco no final da primavera. Gostam de climas frescos e húmidos e detestam Sol forte.

Exposição: Sombra ligeira.

Solo: Terra ácida e húmida.

Manutenção: Proteger do vento; aplicar “mulch” de folhas nos primeiros anos; regar no verão; eliminar ramos estragados no final do inverno; retirar as flores murchas à mão.

2- Dafne: Regue bem

O dafne (Daphne burkwoodii) encanta com as suas flores rosa. Saem desnudadas dos ramos no final do inverno, em grupos apertados e são muito aromáticas. Têm bagas decorativas.

Exposição: Sombra ligeira.

Solo: Fresco, bem drenado e sem calcário.

Manutenção: Resguardar do vento; regar com o tempo seco; controlar o pulgão.

Hortênsia

3- Hortênsia: Proteja os rebentos

Embora o branco seja a cor típica das espécies botânicas pertencentes ao género Hygrangea, as azuis e púrpura híbridas, que pedem solos ácidos com muito alumínio para manter a cor, são as mais apreciadas.

Exposição: Sol-sombra.

Solo: Rico em húmus; evitar solos calcários.

Manutenção: Aplique turfa clara na primavera; proteja com folhas secas os rebentos no inverno; pode para eliminar os ramos mortos, a 5 cm do solo e em cada 5 anos.

4- Spireia do Japão: Flores precoces

Inferior a 150 cm de altura, a Spiraea japonica é um excelente exemplar para jardim de rochas. Os raminhos de flores brancas invadem os ramos antes da saída das folhas. No outono, as cores são bastante atrativas.

Exposição: Sol pleno.

Solo: Bem drenado.

Manutenção: Aplique estrume ou composto decomposto anualmente; elimine os rebentos velhos e estragados depois da floração.

Fucsia

5- Fucsia: No interior

No jardim, a fucsia (Fuchsua sps.) adapta-se a diversas situações, quer seja para a composição de massas arbustivas, quer para formar cascatas vegetais em vasos ou muros. Quando orientada a oeste, os raios solares destacam ainda mais a coloração das flores.

Exposição: Sombra ou sombra parcial.

Solo: Rico e húmido.

Manutenção: Proteger nos invernos frios; aplicar composto caseiro na primavera e no outono; podar depois da floração.

6- Escalónia: Água mole

Devido à sua origem, Chile e Argentina, a escalónia (Escallonia macrantha) adapta-se melhor a climes suaves, onde é capaz de florescer durante todo o ano. Se podar o material estragado depois de uma geada forte, volta a brotar na primavera.

Exposição: Sol ou sombra parcial.

Solo: Fértil, rico e não calcário.

Manutenção: Proteger do Sol estival; regar com água mole; proteger com composto decomposto no outono ou na primavera; podar para manter a forma.

Hebe

7- Hebe: Muitos nutrientes

Rega e adubo são os cuidados essenciais para que a hebe (Hebe sps.) se mantenha bonita, dada a sua avidez por nutrientes. Com estes cuidados, não tarda em oferecer bonitas flores reunidas em inflorescências cónicas em diversas cores.

Exposição: Sol pleno.

Solo: Ligeiro, preferencialmente.

Manutenção: Regar no primeiro verão; adubar.

Ideais para sebes e maciços

Os exemplares de porte médio que seleccionámos são perfeitos para delimitar diferentes  zonas do jardim, para usar como cerca ou para formar grupos mistos com duas ou três espécies  em combinação com alguma árvore e plantas da época.

Azevinho

8- Azevinho: Bagas no inverno

Conjugar distintas variedades de azevinho (Ilex sps.) é garantia de êxito. Assim como fazer crescer a planta junto com espécies de terreno ácido, como rododendros. A folhagem decorativa e os frutos de Inverno são as principais atracções.

Exposição: Sol ou sombra ligeira.

Solo: Ácido, rico e sem Sol.

Manutenção: Plantar a partir de vaso; cobrir a base com material orgânico, turfa ou húmus, no outono e na primavera; podar em meados do verão.

9- Deutzia: Resiste a geadas

Embora de crescimento discreto, é muito popular e por vezes confunde-se com a celinda. Os ramos crescem em todas as direcções, resiste a geadas e produz raminhos com flores brancas ou rosas.

Exposição: Sol pleno.

Solo: De jardim, com matéria orgânica.

Manutenção: Adubar durante o crescimento e antes de florescer; podar para travar o crescimento.

10- Eleagno: Para usos diversos

Forma boas sebes junto ao mar, onde desenvolve folhagem frondosa. Pode ser usado em canteiros mistos e para arranjos florais.

Exposição: Sol ou sombra parcial.

Solo: Ordinário, com boa drenagem.

Manutenção: Regar com o tempo seco até enraizar bem; podar no verão.

Lilás

11- Lilás: Podas necessárias

Quer o lilás comum (Syringa vulgaris) quer o microphylla, mais pequeno, ficam espetaculares na primavera recheados de fragrantes inflorescências. A copa arredondada tende a abrir e deve ser controlada com podas anuais.

Exposição: Sol pleno ou sombra parcial.

Solo: Calcário e argiloso.

Manutenção: Eliminar a madeira velha florida depois da floração; desbastar os rebentos excessivamente vigorosos no verão.

Berberis

12- Berberis: Alinhamento informal

Para impedir a entrada no jardim a pessoas ou animais, recorra ao berberis (Berberis sps.). Mede até metro e meio, é muito ramificado e conta com folhas e ramos espinhosos. Suporta bem a poda e compõe estupendas sebes informais.

Exposição: Sol ou sombra ligeira.

Solo: Ordinário, drenado, inclusivamente calcário.

Manutenção: Separar 40-60 cm em formação de sebe; podar depois da floração, vigiar a ferrugem.

13- Laranjeira do méxico: Crescimento rápido

A deliciosa fragrância a flor de laranjeira é a principal característica da Choisya ternata. Mas não é a única, já que graças ao crescimento compacto e arredondado, formado por lustrosa folhagem permanente, é atrativa todo o ano. Se não for afectada pelas geadas, cresce rapidamente até alcançar dois metros.

Exposição: Sombra total ou parcial.

Solo: Ácido, com matéria orgânica em decomposição.

Manutenção: Regar em tempo de seca; aclarar após a floração; podar ramos gelados.

Celinda

14- Celinda: Em zonas de passagem

Quem compra uma celinda (Philadelphus coronarius) sabe que a folhagem, à base de folhas pequenas e arredondadas, não compensa ornamentalmente o esforço de plantar mas sim as suas flores, brancas e intensamente perfumadas.

Exposição: Sol ou Sol-sombra.

Solo: Qualquer.

Manutenção: Regar no primeiro ano; podar a madeira velha ao cair das folhas.

Ao fundo da composição

Apenas os grandes jardins se podem dar ao luxo de alojar arbustos tão vistosos como o amelanchier. Nos jardins médios, temos que nos conformar em ter algum dos seguintes arbustos em posições de retaguarda.

Fotínia

15- Fotínia: Protegida do vento

A aparência fora de comum dos rebentos primaveris em vermelho vivo da Photinia fraseri encanta qualquer entusiasta de jardinagem. Assegure-se que não surgem rebentos murchos. Neste caso, deve eliminá-los.

Exposição: Sol pleno.

Solo: Enriquecido com húmus.

Manutenção: Podar depois do verão para não estragar a floração; proteger do vento.

16- Viburno: Grande resistência

A família dos Viburnos (Viburnum sps.) é resistente ao frio e ao calor e tem algumas flores aromáticas.

Exposição: Sol ou sombra parcial.

Solo: Profundo, húmido e rico.

Manutenção: Poda de formação depois da floração; controlar o pulgão.

Budleia

17- Budleia: Fácil de cuidar

As panículas púrpuras de flores pequenas e muito perfumadas da Buddleja davidii são atrativas para as borboletas. Poucos arbustos requerem tão poucos cuidados de manutenção.

Exposição: Sol pleno.

Solo: Qualquer tipo.

Manutenção: Regar no primeiro verão; cobrir o solo para conservar a humidade; podar para limpar, em cada três anos.

Cornus

18- Cornus: Multiplicar por estacaria

O Cornus kousa tem floração branca, frutos carnudos e vermelhos e é de grande valor ornamental.

Exposição: Sol ou sombra.

Solo: Rico, fresco, não alcalino.

Manutenção: Plantar no outono ou na primavera; podar no final do inverno; multiplicar por estacas no final do outono.

19- Loureiro: Em forma de bola

Denso, com 3-5 m de altura, e com largos raminhos de flores brancas. Assim é o mais resistente de todos os prunus, o P. lusitanica, conhecido como o loureiro português.

Exposição: Sol pleno.

Solo: Profundo, drenado, rico e calcário.

Manutenção: Regar bem na éppoca de crescimento; aclarar ramos congestionados no verão; vigiar oídio e murchidão floral.

Amelanchier

20- Amelanchier: Todo-o-terreno

O Amelanchier lamarckii é capaz de adaptar-se a qualquer solo e clima. Brota com moderação e na primavera fica repleto de folhas novas de cor rosa que mais tarde, no outono, mudam para ocre, antes de oferecer bagas vermelhas.

Exposição: Sol ou meia sombra.

Solo: Qualquer tipo.

Manutenção: Proteger em maio com restos de cortes de relvado; evitar poda severa.

21- Sabugueiro: Aspeto silvestre

O sabugueiro negro (Sambucus nigra) deu origem a variedades de folhagem matizada e dividida como a dos fetos. É feliz em cantinhos silvestres do jardim, onde mostra a sua espectacular floração estival à base de raminhos branco/creme.

Exposição: Sombra parcial ou Sol.

Solo: Rico, húmido e até calcário.

Manutenção: Podar na primavera os rebentos secundários; multiplicar no início do inverno por estacas lenhosas.

Revestimento de paredes

Muito bonitos, sim, mas sem protecção sofrem as consequências das geadas. Se colocar os arbustos contra um muro ou parede, protegidos e quentes, não existem motivos para não prosperarem.

Abutilon

22- Abutilon: Folhas apelativas

Parente da malva, o A. magapotamicum parece trepadeira porque requer apoios. As folhas são muito apelativas. Em forma de coração, têm pintas amarelas e flores em forma de campainhas vermelhas e alaranjadas.

Exposição: Protegida do Sol forte.

Solo: Rico, fértil e bem drenado.

Manutenção: Adubar com fertilizante equilibrado durante o crescimento; podar na primavera se o crescimento se apresentar desordenado.

23- Lilás da Califórnia: Grandes terrenos

As espécies perenifólias de Ceanothus oferecem um magnífico espectáculo com as suas matizes azuis entre a primavera e meados do verão. O crescimento vigoroso torna estes arbustos ideais para cobrir grandes superfícies. Coloque vivazes em redor.

Exposição: Sol pleno.

Solo: Bem drenado e sem calcário.

Manutenção: plantar na primavera em terra aligeirada com turfa e areia; podar curto na primavera para obter plantas que abram no verão.

Kerria

24- Rosa Japonesa: Invasosa

A Kerria é uma planta com características invasoras pelo que se aconselha prudência na sua plantação.

Exposição: Sol pleno ou Sol-sombra.

Solo: Qualquer tipo.

Manutenção: Controlar a tendência invasora; podar depois da floração e retirar os ramos do centro para penetrar a luz.

25- Figueira: Boa rega

Típica do Mediterrâneo, a Ficus cariva pode dar uma colheita razoável de fruta nas regiões mais frias desde que conduzida contra uma parede orientada a sul. Tem grandes e decorativas folhas.

Exposição: Sol pleno.

Solo: Fértil, sem ser seco, inclusive calcário.

Manutenção: Regar bem durante o crescimento; multiplicar por estacas no início do verão.

Fotos: Pixabay

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar