Hortícolas e Frutícolas

Tomate: fruto do mês

Saudável e fácil de cultivar na horta, no jardim ou em vaso, o tomate é altamente rico em antioxidante ‘licopeno’ e pode ser consumido o ano inteiro.

  1. Nome cientifico: Licopersicon esculentum.
  2. Altura: 0,5-1 metro.
  3. Época de sementeira/plantação: Sementeira em alfobre ou camas quentes de janeiro a março.
  4. Sementeira direta: Fevereiro/março.
  5. Solo e fertilização: Prefere solos profundos, de textura franca ou areno-argilosa e bem drenados.
  6. Local de cultivo aconselhado: É uma cultura de estação quente, exigente em temperatura (>16 ºC) e sensível à geada. Precisa de pelo menos seis horas de sol direto por dia.
  7. Manutenção: Colocar um tutor a cerca de 10 cm de cada planta do tomateiro. Cobrir a terra com composto ou folhas de consolda e depois com palha ou ervas secas. Regar quinzenalmente com chorume de urtiga sobre a palha. Evitar a rega por aspersão, devido ao risco de míldio.

O tomate (Licopersicon esculentum) é rico em pró-vitamina A e vitamina C, bem como em antioxidante ‘licopeno’, que tem propriedades anticancerígenas e confere ao tomate a cor vermelha. Pertence à família botânica das Solanáceas, que inclui também a batata, o pimento e a beringela. O tomateiro é uma planta perene cultivada como anual, com um sistema radicular profundo (até 1,5 m), podendo ter crescimento determinado (período de floração limitado) ou indeterminado (floração durante toda a vida). Existem cultivares de ciclo curto (90-100 dias), médio (100 a 120 dias) e longo (>120 dias).

Os frutos podem ser:

  • redondos;
  • tipo Roma ou chucha (oblongos);
  • tipo cocktail (redondos com calibre 3,5 a 4,5 cm, colhidos em cacho);
  • tipo cereja (redondos de calibre pequeno);
  • tipo coração-de-boi (com costelas bem marcadas).

Existem milhares de variedades de tomate, sendo uma das hortícolas com maior diversidade. A maior parte das variedades comerciais é híbrida, mas é possível obter variedades não híbridas e variedades antigas através de redes de sementes, como a Colher para Semear e também em lojas de produtos biológicos.

Condições ótimas de cultivo

É uma cultura de estação quente, exigente em temperatura (>16 ºC) e sensível à geada. Prefere solos profundos, de textura franca ou areno-argilosa, e bem drenados. É muito sensível ao encharcamento, especialmente durante a emergência e na maturação dos frutos.

Experimente esta deliciosa receita de compota de tomate
Sementeira e/ou plantação

1. Sementeira em alfobre ou camas quentes:

De janeiro a março, sob temperaturas >18 ºC. Pode semear-se em tabuleiros ou vasos.

Transplantação com raiz nua ou protegida pelo torrão de terra, de março a maio, quando as plantas têm três folhas verdadeiras (4 a 6 semanas de idade). Planta-se a um compasso mínimo de 50 x 50 cm, aumentando a distância para as variedades que requerem mais espaço. Colocar uma pá de composto por covacho. Se não se tratar de variedades sensíveis a doenças radiculares, pode também aplicar-se um punhado de urtigas e recobrir com o composto e um punhado de terra. Enterrar as plântulas até às primeiras folhas verdadeiras.

2. Sementeira direta: Fevereiro/março se a temperatura do solo for > 14 ºC. Quando se faz sementeira direta, é necessária especial atenção à preparação do solo, que deve ser deixado sem agregados com diâmetro superior a 2 cm, na camada superfi cial, já que estes podem perturbar a emergência das plântulas.

Aprenda a plantar e fertilizar tomateiros!

Rotações e consociações favoráveis

A rotação deve ter uma duração mínima de três a quatro anos.

  • Precedentes favoráveis: Alho, alho-francês, cebola.
  • Precedentes a evitar: Outras solanáceas (batata, pimento, beringela, tomate), melão, pepino.
  • Consociações favoráveis: Cenoura, aipo, alface, alho, alho-francês, cebola, couve, espinafre, feijão, salsa, rabanete, cravo-túnico (repele a mosca-branca), chagas (repelem a mosca-branca).

Cuidados culturais

  • Colocar um tutor a cerca de 10 cm de cada planta do tomateiro. À medida que cresce, prende-se a planta ao tutor com ráfia ou outro material.
  • Cobrir a terra com composto ou folhas de consolda e depois com palha ou ervas secas.
  • Nas variedades de crescimento indeterminado, suprimir os ramos ladrões que aparecem na axila das folhas (estes podem ser plantados como estacas de multiplicação). Pode também cortar-se o gomo terminal acima do 4.º ou do 8.º ramo floral.
  • Regar quinzenalmente com chorume de urtiga sobre a palha. Evitar a rega por aspersão devido ao risco de míldio.

Problemas com os seus tomateiros? Leia o artigo oídio do tomateiro

Colheita e conservação

Os frutos devem colher-se maduros e conservam-se no frio (6 a 11 ºC), retirando-se do frigorífico meia hora antes de os consumir, para recuperarem o seu aroma.

Sabia que?

Para conservação das sementes (variedades não híbridas), colhem-se os frutos maduros, espreme-se a polpa com as sementes para uma tigela e deixa-se criar bolor.

Ao fim de 3-4 dias, retira-se o bolor e lavam-se as sementes sobre um crivo. Deixam-se secar numa superfície não aderente, separam-se e conservam-se num local seco e ao abrigo da luz.

São viáveis, dependendo das variedades, durante quatro a dez anos.

Gostou deste artigo? Subscreva o canal da Jardins no Youtube e siga-nos no Facebook e no Instagram.

Poderá Também Gostar